nsc
dc

Caos na Saúde

Técnica de enfermagem com Covid morre enquanto esperava por vaga em leito de UTI no Oeste de SC

Após transferência, paciente recebeu atendimento intensivo em um "leito improvisado", informou Coren-SC

04/03/2021 - 17h10 - Atualizada em: 04/03/2021 - 17h21

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Profissional da saúde aguardou por três dias transferência
Profissional da saúde aguardou por três dias transferência
(Foto: )

Cinco dias após entrar para a fila de espera de leitos de UTI em SC, a técnica de enfermagem Eliandre Boscato, de 43 anos, morreu por complicações do coronavírus na última segunda-feira (1º), no Oeste de SC. A profissional da saúde estava hospitalizada em São Miguel do Oeste, mas morava em São Carlos, na mesma região. 

> SC confirma dois primeiros casos da nova variante da Covid transmitidos dentro do Estado

Segundo o Conselho Regional de Enfermagem (Coren/SC), a espera por um leito começou em 24 de fevereiro, quando a profissional de saúde teve uma piora no quadro e foi acrescentada à lista de espera. 

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

> Entrevista de André Motta à Globonews retrata uma SC que não existe

Ela já estava internada desde o dia 20 de fevereiro no hospital de São Carlos, onde trabalhava há mais de 10 anos, mas a unidade não possui leitos de UTI. A transferência para São Miguel do Oeste ocorreu três dias depois do pedido, em 27 de fevereiro. 

Segundo o G1SC, o Coren informou que a paciente recebeu atendimento intensivo em um "leito improvisado", pois não havia vaga dentro da UTI. O Hospital Regional Terezinha Gaio Basso, por sua vez, informou que nenhum paciente fica sem assistência médica e todos recebem respiradores e medicamentos.

"Tenho certeza que se tivesse leito ele teria se salvado", diz filha de paciente que morreu na fila por UTI em Xanxerê

O hospital em que Eliandre trabalhava emitiu uma nota sobre a morte da colaboradora:

- É difícil acreditar que você se foi, pois estava na linha de frente conosco pela vida das outras pessoas e mesmo enfrentando essa doença dificílima, você se manteve lutando como uma guerreira, motivada do jeito que só você sabia ser. Vai ser muito difícil pra nós, seus colegas e irmãos de profissão, continuarmos essa luta sem você Eliandre.

Leia também

Colapso em SC pede medidas duras e menos marketing de políticos nas redes sociais

Técnica de enfermagem morre de Covid-19 sem vaga na UTI em Itapema

Brasil precisa de lockdown nacional e "extremamente restrito", diz Miguel Nicolelis

Colunistas