nsc
    santa

    Meteorologia

    Tornados em SC: relembre seis vezes em que o fenômeno ocorreu no Estado

    Guaraciaba, Xanxerê, Maravilha, São Joaquim, Canoinhas e Rodeio são algumas cidades de Santa Catarina que já registraram tornados

    11/06/2020 - 08h32 - Atualizada em: 11/06/2020 - 12h36

    Compartilhe

    Augusto
    Por Augusto Ittner

    Tudo indica que um tornado passou por Santa Catarina no fim da tarde desta quarta-feira (10), no Extremo Oeste do Estado. Segundo o meteorologista da NSC Comunicação, Leandro Puchalski, as características do temporal que aconteceu em Descanso, Belmonte e Iporã do Oeste sugerem uma nova ocorrência do fenômeno por aqui.

    > Você sabia? Santa Catarina é a segunda área mais propícia para tornados no mundo

    Por mais que pareçam estranhos, os tornados não são incomuns em Santa Catarina. Um estudo do Laboratório Nacional de Tempestades Severas dos Estados Unidos aponta que a Região Sul do Brasil — pegando até uma parte de São Paulo e do Triângulo Mineiro — é a segunda área mais propícia para o fenômeno no mundo. Em SC, dezenas de tornados já foram registrados, uns com menos estragos, outros muito destrutivos.

    Relembre os tornados em Santa Catarina

    Canoinhas, 1948

    O primeiro grande tornado oficialmente registrado no nosso Estado ocorreu em 16 de maio de 1948 em Canoinhas, no Planalto Norte.

    Dados do Acervo Histórico da cidade indicam que ao menos 23 pessoas morreram por conta da tragédia climática que foi registrada na localidade de Valinhos, distante cerca de 40 quilômetros do Centro da cidade.

    Conforme informações do Blog do Puchalski, a estimativa é de que os ventos tenham chegado a 300 km/h, o que configura um tornado de categoria F3 (de F0 a F5).

    Tornado em Canoinhas, Planalto Norte de SC, em 1948.
    Tornado em Canoinhas, Planalto Norte de SC, em 1948.
    (Foto: )

    Maravilha, 1984

    Trinta e seis anos depois do tornado de Canoinhas, foi a vez da cidade de Maravilha, no Oeste do Estado, lidar com o fenômeno. Em 9 de outubro de 1984, entre cinco e seis pessoas morreram por conta dos fortes ventos que atingiram a cidade e que indicaram um tornado de categoria F3.

    Um documentário lançado em 2004 e dirigido por Jone Schuster intitulado “1984 – Quando o Céu Derramou”, relembra a tragédia que atingiu ao menos 21 comunidades e deixou mil pessoas desabrigadas, além de milhares de imóveis danificados ou completamente destruídos.

    Tornado em Maravilha, Oeste de SC, em 1984.
    Tornado em Maravilha, Oeste de SC, em 1984.
    (Foto: )

    São Joaquim, 1987

    Em 13 de maio de 1987, o que parecia ser mais uma tempestade acabou se tornando a maior tragédia da cidade de São Joaquim, no Planalto Serrano do Estado.

    Imagens feitas pelo fotógrafo Alexandre M. Reis mostram a destruição causada pelo fenômeno que, anos mais tarde, foi classificado com um tornado de categoria F3

    Cinco pessoas morreram, incluindo três da mesma família.

    Em 11 de novembro de 2013, São Joaquim lidou com mais três tornados de menor intensidade (F0 e F1) e uma microexplosão.

    Manchete do Diário Catarinense sobre o tornado em São Joaquim.
    Manchete do Diário Catarinense sobre o tornado em São Joaquim.
    (Foto: )
    Tornado em São Joaquim, Serra de SC, em 1987.
    Tornado em São Joaquim, Serra de SC, em 1987.
    (Foto: )

    Guaraciaba, 2009

    Também no Extremo Oeste de Santa Catarina, há quase 11 anos, um tornado devastou a pequena cidade de Guaraciaba e deixou quatro mortos. O fenômeno ocorreu no dia 7 de setembro e atingiu ao menos oito comunidades, causando um prejuízo estimado de R$ 160 milhões. Sessenta mil aves de um aviário também morreram.

    Tornado em Guaraciaba, Extremo Oeste de SC, em 2009.
    Tornado em Guaraciaba, Extremo Oeste de SC, em 2009.
    (Foto: )

    Xanxerê, 2015

    Mais um caso no Oeste de SC. Em 20 de abril de 2015, o município de Xanxerê foi surpreendido pelo tornado que deixou quatro pessoas mortas (entre elas um pai que conseguiu salvar a esposa e o filho bebê) e pelo menos 120 feridas.

    Imagens de uma câmera de segurança (veja abaixo) mostram o susto vivido pelos moradores da cidade e também a velocidade dos ventos. O tornado foi classificado como de categoria F3. Cerca de 600 casas foram danificadas ou parcialmente destruídas e mil pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas.

    No mesmo ano, em novembro, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), confirmou a passagem de um tornado de categoria F1 em Chapecó, que causou destelhamentos.

    Rodeio e Ascurra, 2016

    Um caso no Vale do Itajaí. Os fortes ventos atingiram Rodeio e Ascurra, no Médio Vale, em 27 de dezembro de 2016 — e que inicialmente foi chamado de vendaval — acabou sendo confirmado como um tornado de categoria F0.

    O fenômeno durou cerca de 15 minutos, entre as 16h10min e as 16h25min, e destruiu casa, galpões e arrancou árvores. Uma mulher chegou a ser atingida por um galho de uma árvore, foi atendida pelo Corpo de Bombeiros, mas não precisou ser encaminhada ao hospital.

    Tornado em Rodeio e Ascurra, no Vale do Itajaí, em SC, 2016.
    Tornado em Rodeio e Ascurra, no Vale do Itajaí, em SC, 2016.
    (Foto: )

    Por que ocorrem os tornados?

    Confira na arte abaixo uma explicação rápida do porquê da incidência de tornados em Santa Catarina:

    Como ocorrem os tornados.
    Como ocorrem os tornados.
    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas