nsc
dc

FIQUE SABENDO

Vacina da Covid em Florianópolis: locais, seringas, freezers e o que se sabe até agora

Vacinação deve iniciar na quarta-feira (20) pelos profissionais da saúde, indígenas e idosos de casas de repouso

06/01/2021 - 14h00 - Atualizada em: 14/01/2021 - 11h45

Compartilhe

Por Guilherme Simon
Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Estoque seringas e agulhas em Florianópolis
Segundo prefeitura, Florianópolis tem cerca de 300 mil seringas e 235 mil agulhas em estoque
(Foto: )

Em reunião virtual agendada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a vacinação contra Covid-19 deve iniciar na próxima quarta-feira (20) em todo o território nacional. Estados e municípios, desde dezembro de 2020, se organizam para comprar insumos e preparar as estruturas para a imunização. Em Florianópolis, a prefeitura atua para garantir itens como seringas e refrigeradores.

> Vacinação contra Covid-19 em Florianópolis começa na quarta-feira

Na quarta-feira (20), a vacinação começará pelos trabalhadores da saúde, a população idosa a partir dos 75 anos de idade, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e a população indígena. Florianópolis planeja ir até os locais onde os grupos se encontram para realizar a imunização.

A expectativa é de que a Anvisa aprove as vacinas do Instituto Butantan (CoronaVac) e Fiocruz (AstraZeneca) para uso emergencial no domingo (17). Dessa forma, na segunda-feira (18) as doses são distribuídas para os Estados brasileiros e a vacinação inicia em todo território nacional às 10h de quarta-feira (20). 

De acordo com as informações do prefeito de Florianópolis, serão distribuídas na segunda-feira (18) 2 milhões de doses da AstraZeneca e 6 milhões da CoronaVac para todos os Estados. A expectativa é de mais 30 milhões de doses para fevereiro e 400 milhões ao longo de 2021.

Confira o que já sabe sobre a vacinação contra a Covid na Capital:

Seringas e agulhas

Florianópolis tem em estoque no momento mais de 300 mil seringas e 235 mil agulhas, de acordo com a Secretaria de Saúde. Segundo a prefeitura da Capital, o contrato com a empresa fornecedora dos insumos está em aberto para que, se necessário, mais materiais sejam solicitados. A maioria das seringas em estoque é de 3 ml, que são as mais utilizadas para a vacinação, conforme a secretaria.

> Bolsonaro suspende compras de seringas até que preços 'voltem à normalidade'

> Sobe de 10 para 13 o número de regiões de SC em risco gravíssimo para coronavírus

Profissionais para vacinação

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Florianópolis conta com 522 profissionais treinados e capacitados para atuarem como vacinadores na campanha de imunização contra a Covid-19. A pasta também informou que, se for avaliado necessário, mais profissionais poderão ser convocados, considerando processo seletivo vigente.

Armazenamento das doses

A cidade conta com 49 câmaras frias nos Centros de Saúde para armazenamento correto das doses da vacina contra o coronavírus, informou a secretaria. Além disso, há uma câmara fria central com capacidade de 1.500 litros. No total, a capacidade de armazenamento é de 4,3 milhões de doses de 5 ml na cidade. Por questão de segurança para o armazenamento, não é informado o endereço desses locais.

> Entenda a vacina Oxford-AstraZeneca e seu uso no Brasil

A secretaria também informou que um container refrigerado está em fase de licitação. A ideia é aumentar a capacidade de armazenamento.

Parceria com a UFSC

Além disso, pelo menos cinco freezers de ultrabaixa temperatura que pertencem à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) podem ser cedidos para a Prefeitura de Florianópolis para armazenamento de vacinas contra o coronavírus. São quatro equipamentos de 374 litros e um de 483 litros localizados no Lameb. 

> Volta às aulas nas escolas estaduais de SC será em 18 de fevereiro; confira calendário

De acordo com a UFSC, os freezers de ultrabaixa temperatura poderiam ser utilizados para armazenamento de vacinas contra a Covid-19 que exigem conservação a temperaturas de -70ºc, como é o caso da vacina do laboratório Pfizer. 

Neste primeiro momento de vacinação, os ultrafreezers não serão necessários, já que as doses da CoronoVac e AstraZeneca podem ser armazenadas nas câmaras frias da prefeitura.

Pontos de vacinação

A Prefeitura de Florianópolis divulgou nesta terça (5) que cidades da região estudam unificar o plano de vacinação. Uma das possibilidades estudadas é usar o Ticen (Terminal de Integração do Centro) como um ponto para aplicar a doses contra a Covid-19. A intenção, conforme a assessoria da prefeitura, seria transformar o local em um ponto unificado de imunização, com a possibilidade de vacinação de moradores de diferentes cidades da região da Grande Florianópolis. Além disso, a vacinação acontecerá em postos de drive-thru e nos condomínios.

Nesta primeira fase de vacinação, com as doses de CoronaVac e AstraZeneca enviadas pelo governo federal, a prefeitura planeja se deslocar aos locais em que os grupos prioritários estão, como postos de saúde para os profissionais da área e casas de repouso para imunização dos idosos. 

Leia também

> Com meio milhão de infectados, SC precisa estabelecer quantas vidas ainda pode salvar

> Maioria pretende ir a eventos mesmo com alta percepção de risco, diz pesquisa

> 'Brasil está quebrado e eu não consigo fazer nada', diz Bolsonaro

Colunistas