Neste domingo, durante a COP28, em Dubai, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tornou-se signatário dos Princípios da ONU para Responsabilidade Bancária. Essa é uma estrutura para o setor bancário sustentável por meio de uma colaboração entre bancos mundiais e a Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP FI).

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Segundo o presidente do BRDE, João Paulo Kleinübing, a instituição é a primeira do segmento de fomento em nível regional no Brasil a aderir a essa diretriz da Organização das Nações Unidas (ONU). A assinatura foi em cerimônia com representante da ONU e outras autoridades, em que o presidente da instituição sul-brasileira falou sobre a relevância dessa adesão.

– Estamos orgulhosos em assumir este compromisso na COP28, um palco global para os grandes atores e interesses da humanidade. Mais um passo rumo à descarbonização completa de nossa carteira de crédito e nossa contribuição para liderar este processo no setor público no Brasil – falou Kleinübing.
Esse acordo dos Princípios da ONU incentiva os bancos a adotarem práticas em sintonia com prioridades da sociedade incluídas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU e no Acordo Climático de Paris.

Uma análise sobre as atividades do BRDE frente às metas do Pacto Global da ONU apurou que aproximadamente 80% das operações do banco já têm aderência a pelo menos um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O desafio, agora, é chegar a 100%.

Continua depois da publicidade

Lideranças ligadas às Nações Unidas acompanharam a assinatura da adesão do BRDE (Foto: Divulgação)

As instituições que aderem se comprometem a cumprir medidas de sustentabilidade no fomento a negócios. Entre as novas responsabilidades que bancos signatários devem ter estão medir o impacto ambiental e social em função das suas atividades.

Entre as práticas já adotadas pelo BRDE dentro desse conceito estão a oferta de crédito para organizações de microcrédito, repasses para agricultura familiar, linhas de crédito para mulheres empreendedoras e financiamento à inovação.

BRDE assina parcerias na COP28 e se posiciona como “Banco Verde”

Conforme Kleinübing, ao participar de uma rede global de instituições financeiras que compartilham esses valores, o BRDE pode contribuir para a construção de um futuro mais sustentável e inclusivo.

Na avaliação do diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do BRDE, Mauro Mariani, com essa decisão de ser signatário dos Princípios da ONU, é importante que o banco tome cada decisão com foco em um legado para superar desafios sociais e emergências climáticas.

Continua depois da publicidade

Leia também

Durante a COP28, Décio Lima sugere um Desenrola para micro e pequenas empresas

Presidente da Fiesc e diretor da WEG falam sobre hidrogênio verde após painel na COP28

Dois CEOs de SC e um conselheiro integram o grupo empresarial do G20

O que empresas de Santa Catarina buscam na COP28 em Dubai

Banco da Família faz acordo com instituição da Europa para financiar economia verde

Associação Empresarial de Joinville pede derrubada do veto de Lula à desoneração da folha

Como Santa Catarina participa da COP28 sobre mudanças climáticas em Dubai

Destaques do NSC Total