nsc
nsc

Negócios

Empresa blumenauense de tecnologia PagueVeloz é comprada pela gigante Serasa

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
18/10/2021 - 08h50
Kracik (E), Spengler (D) e Gomes (abaixo) mantêm as atuais posições na PagueVeloz
Kracik (E), Spengler (D) e Gomes (abaixo) mantêm as atuais posições na PagueVeloz (Foto: Pedro Machado, BD)

A fintech blumenauense PagueVeloz aceitou uma proposta de compra feita pela Serasa, em mais um movimento que reforça o aquecimento do mercado de fusões e aquisições no setor de tecnologia. O valor do negócio não foi divulgado. 

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

Com a incorporação, a PagueVeloz e seus 380 funcionários passam a fazer parte do Grupo Serasa como unidade de negócio, com gestão independente e marca e estratégias mantidas. Os executivos Paulo Gomes (CEO), Nilton Spengler (diretor de operações) e José Henrique Kracik da Silva (diretor de tecnologia) permanecem nas funções.

A PagueVeloz surgiu de um sistema desenvolvido para ajudar uma autoescola a receber pagamentos dos clientes. O produto evoluiu ao ponto de se transformar em uma espécie de banco digital corporativo, onde pequenas e médias empresas podem gerenciar boletos, realizar transferências e cobranças via cartão de crédito e utilizar saldos para pagamentos de contas.

Com nove anos de mercado, a fintech – como são chamadas startups dedicadas a soluções financeiras – ultrapassou a marca de 11,5 mil clientes em junho, um volume 211% maior frente ao mesmo período do ano passado. Foram mais de 1,1 milhão de transações no primeiro semestre, alta de 131% na comparação com 2020. O montante de pagamentos que passam pela plataforma passou de R$ 700 milhões no período.

Só entre janeiro e junho, a PagueVeloz contratou mais de 190 pessoas, quase 100 delas focadas na área comercial. O aumento do quadro potencializou a expansão da atuação para a região Nordeste. A empresa também tem um escritório em São Paulo.

A Serasa informou que um dos objetivos com a aquisição é acelerar o processo do “nome limpo instantâneo”, reduzindo o tempo na baixa da dívida e aumentando o Serasa Score de forma mais rápida, facilitando com que os consumidores voltem a ter acesso a crédito.

Há similaridades e sinergias entre as empresas, inclusive proximidade física. A Serasa mantém em Blumenau um escritório da Serasa Consumidor, braço tecnológico da companhia que desenvolve soluções ligadas a consultas e acesso a crédito.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Atacarejo puxa expansão e Grupo Koch projeta faturar R$ 3,5 bilhões em 2021

B3 negocia compra da catarinense Neoway, gigante do big data, por mais de R$ 1,5 bilhão

Projeto prevê restaurante em terreno com casa histórica no Centro de Blumenau

Mercado público de Blumenau será maior que o previsto e está orçado em R$ 25,3 milhões

50 propagandas antigas de Blumenau que parecem estranhas, mas que já fizeram sentido

Altenburg confirma inauguração de fábrica de mais de R$ 30 milhões no Nordeste​​

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas