nsc
nsc

Comércio varejista

Atacarejo puxa expansão e Grupo Koch projeta faturar R$ 3,5 bilhões em 2021

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
14/10/2021 - 15h02
José Koch, presidente do Grupo Koch: mais quatro inaugurações estão no radar ainda para 2021
José Koch, presidente do Grupo Koch: mais quatro inaugurações estão no radar ainda para 2021 (Foto: Pedro Machado)

O Grupo Koch deve fechar 2021 com um faturamento de R$ 3,5 bilhões, revelou à coluna o presidente José Koch. A se confirmar, o resultado representará crescimento frente à receita de R$ 3,2 bilhões de 2020. A rede varejista já inaugurou seis lojas neste ano, todas da bandeira Komprão. A mais recente é a do bairro Água Verde, em Blumenau, que abriu as portas ao público na manhã desta quinta-feira (14). O investimento na unidade foi de cerca de R$ 25 milhões, com geração de 180 empregos diretos.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

A nova unidade de Blumenau é a 40ª do grupo, que se consolida como o maior de Santa Catarina em número de lojas e vem subindo degraus no ranking nacional do segmento supermercadista: em cinco anos, saltou da 62ª posição, alcançada em 2016, para a 16ª em 2021, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O forte crescimento tem sido puxado pela operação de atacarejo. As unidades do Komprão já são maioria na rede – 24 das 40.

— Tem inflação e o salário nem sempre acompanha. Com isso o consumidor adere aos atacarejos, onde consegue comprar com preço melhor, mais competitivo — diz o executivo ao justificar que a clientela “está querendo e gostando mais” desse modelo no momento.

Com forte atuação no Litoral, o grupo começou a avançar para o interior do Estado. Só neste ano, abriu unidades do Komprão em Pomerode, Brusque, Blumenau e Jaraguá do Sul – Porto Belo e Balneário Camboriú completam a lista. O cronograma inclui outras quatro inaugurações ainda em 2021: Itapema e Navegantes receberão pontos de venda do SuperKoch, do varejo tradicional, e Piçarras e Jaraguá do Sul serão contempladas com a bandeira Komprão.

Segundo José Koch, somente em 2021 o grupo desembolsará em torno de R$ 250 milhões no plano de expansão, com geração de 1,5 mil empregos nas 10 novas lojas. Outras metas são fechar o ano com 10 unidades da rede de farmácias FarmaKoch e inaugurar um novo centro de distribuição, de 50 mil metros quadrados, em Tijucas. O plano para 2022 prevê, inicialmente, de seis a dez novas unidades, mas ainda é preciso aprovar os projetos em definitivo.

— A gente está se estruturando para poder crescer. A gente vai continuar abrindo lojas no varejo, no atacarejo, sempre pensando na solidez da empresa. Essa é uma preocupação nossa, de não dar um passo maior que a perna — considera o executivo.

O Grupo Koch já tem negócios em 22 cidades catarinenses e emprega diretamente 6,2 mil pessoas. Apesar do avanço para o Médio Vale e Norte catarinense, o presidente ainda enxerga espaço para crescer em regiões litorâneas, como Florianópolis e São José.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

B3 negocia compra da catarinense Neoway, gigante do big data, por mais de R$ 1,5 bilhão

Projeto prevê restaurante em terreno com casa histórica no Centro de Blumenau

Mercado público de Blumenau será maior que o previsto e está orçado em R$ 25,3 milhões

50 propagandas antigas de Blumenau que parecem estranhas, mas que já fizeram sentido

Altenburg confirma inauguração de fábrica de mais de R$ 30 milhões no Nordeste

Rede Hilton inicia por SC expansão na América Latina de marca de hotéis econômicos

Movimento de compra e venda de empresas de Blumenau continuará forte, avalia especialista

Assembleia da Unimed Blumenau rejeita retomada de obras em hospital na Vila Nova

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas