nsc
nsc

Disputa

Oktoberfest Blumenau 2022 tem concorrência acirrada e caminha para recorde de cervejarias

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
05/07/2022 - 11h09 - Atualizada em: 05/07/2022 - 16h30
Propostas de preço das interessadas foram conhecidas nesta terça
Propostas de preço das interessadas foram conhecidas nesta terça (Foto: Lucas Correia, BD)

Tudo indica que a Oktoberfest Blumenau 2022 terá presença recorde de cervejarias artesanais com origem no Vale do Itajaí. Em uma concorrência acirrada, oito marcas da região apresentaram propostas para tentar garantir um lugar nos pavilhões da Vila Germânica na histórica edição pós-pandemia. As ofertas foram conhecidas nesta terça-feira (5). Como são apenas sete pontos de venda disponíveis, pelo menos uma delas ficará de fora.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

Pelos valores envolvidos, já dá para saber que as cervejarias Bierland, Blumenau e Holzbier, que recentemente comprou a Hersing, estão garantidas na festa – esta última fará sua estreia no evento. Como o edital liberava as empresas a dar um lance individual em cada um dos sete pontos, agora resta esperar a localização exata de cada marca, o que depende de uma engenharia relativamente complexa.

A lógica funciona assim: a Bierland, por exemplo, apresentou as melhores propostas para os pontos 1 e 3, ambos localizados no setor 1, e 5, no setor 2. O edital, no entanto, estabelece que cada cervejaria só pode ocupar um estande. Neste caso, a Bierland tem a prerrogativa de escolher entre um dos três pontos. Se escolher o 1, não está apta a disputar o 3 e o 5 – e vice-versa. Com isso, a preferência pelos setores 3 e 5 passa a ser da marca que apresentou a segundo oferta mais alta – nos dois casos, a Holzbier.

Seguindo esses critérios e pelas ofertas feitas, as cervejarias Schornstein – que conseguiu reverter a decisão que inicialmente a tinha inabilitado da disputa – e Scholer’s Bier, outra aspirante a estreante, também estão bem cotadas para garantir lugar na Oktoberfest Blumenau. Das Bier, Wunder Bier e Glasvoll Bier devem disputar as duas vagas restantes, considerando a distribuição dos pontos conforme preço e interesse das participantes.

A definição das cervejarias com os seus respectivos pontos de localização dentro da festa sairá na próxima sexta-feira (8). Além das artesanais, a Oktoberfest terá a Spaten como cerveja oficial e outras marcas já confirmadas da Ambev, como Patagônia, Colorado e Goose Island.

Ágio

Os sete pontos de venda licitados têm áreas que variam de 40 a 60 metros quadrados, com lances mínimos que partem de R$ 8,96 mil e sobem a R$ 21,5 mil. No edital, a prefeitura estimou uma remuneração mínima, somando todos os estandes, que chega a R$ 97,3 mil. Mas a conta será maior.

A Holzbier, por exemplo, apresentou propostas para todos os sete pontos. A menor delas foi de R$ 55,8 mil para um estande avaliado em R$ 12,55 mil. As ofertas preliminares apontam um ágio entre 73% e 91%. A título de curiosidade, em 2019, última edição da Oktoberfest, a arrecadação com as artesanais foi de R$ 191,3 mil.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Empresa de TI abre filial na Califórnia e investe R$ 8 milhões em nova sede em Blumenau

Cálculo indica queda milionária na dívida da Previdência em Blumenau após reforma

Havan e Hang são cobrados na Justiça por suposta dívida de aluguel; empresa nega irregularidade

Têxtil de Pomerode abre nova fábrica em Mirim Doce e mira outra em São Bento do Sul

Startup de Blumenau assina contrato com o Nubank

Projeto prevê a construção de dois galpões industriais gigantes em Blumenau

Obras no Quero-Quero em Blumenau preparam concessão do aeroporto à iniciativa privada

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas