nsc
nsc

FESTAS DE OUTUBRO

Sem Eisenbahn, cervejarias do Vale veem espaço para crescer na Oktoberfest Blumenau

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
01/05/2021 - 12h01 - Atualizada em: 01/05/2021 - 12h04
Oktoberfest Blumenau
Cinco produtoras regionais têm contrato ativo para participar da festa, caso ela aconteça neste ano (Foto: Arthur Moser, BD)

Cervejarias do Vale Europeu enxergam na desistência da Eisenbahn em participar da Oktoberfest Blumenau uma oportunidade para ampliar o protagonismo de outras marcas artesanais na festa – agora, se ela acontecer em 2021, e também no futuro. A Associação Vale da Cerveja, que reúne dez produtores regionais, garante que consegue atender as demandas de produto, logística e serviços que o evento exige.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

O presidente da entidade, Daniel Reginatto, admite que as cervejarias da região não têm cacife financeiro para bancar as cotas de patrocínio e os custos milionários de uma futura concessão – a Eisenbahn, por exemplo, precisou erguer um novo pavilhão na Vila Germânica e a futura cervejaria oficial da Oktoberfest terá de construir um boulevard e um museu sobre a história da festa. Mas garante que as empresas locais têm condições de abastecer com chope o evento em condições normais de realização.

— O nosso intento é ganhar espaço — diz o empresário.

Essa busca por mais visibilidade não é novidade. Cervejarias locais há tempos defendem mudanças nas regras de participação do segmento na Oktoberfest Blumenau. Isso inclui condições financeiras mais favoráveis, como a redução do percentual de repasse sobre as vendas feitas durante a festa. A manifestação da associação (leia a íntegra abaixo) sobre o episódio envolvendo a Eisenbahn, citando inclusive o modelo de Munique, na Alemanha, reacende esse debate.

Cerveja Blumenau, Bierland, Das Bier, Wunder Bier e Hersing são as cervejarias do Vale Europeu que têm contrato ativo para participar da Oktoberfest. Todas elas integram a associação. Atualmente a festa destina sete pontos de venda para as marcas regionais nos pavilhões da Vila Germânica. Os restantes são explorados pela cervejaria oficial.

Confira o posicionamento da Associação Vale da Cerveja

Sobre o artigo publicado no NSC Total, em 30/04/2021, dando conta do encerramento contratual de patrocinadora oficial da Oktoberfest Blumenau com a Vila Germânica, nós, da Associação Vale da Cerveja, temos algumas considerações a fazer.

Em primeiro lugar, imperativo dizer que a saída da Heineken - detentora da marca Eisenbahn - como patrocinadora oficial da Oktoberfest traz o debate sobre a maior participação das Cervejarias Artesanais de Blumenau e da nossa região nessa grandiosa festa.

A região do Vale da Cerveja, que engloba os municípios de Blumenau, Gaspar, Indaial, Timbó e Pomerode, constitui um polo cervejeiro reconhecido nacionalmente, com cervejas de altíssima qualidade e premiadas não somente no Brasil, mas no mundo.

Pegando o exemplo da Oktoberfest de Munich, na Alemanha, há mais de um século que a festa é realizada apenas com cervejarias da cidade como forma de incentivar a economia local, além da cultura do “beba menos, beba melhor”.

Queremos dizer que estamos prontos! Conseguimos atender as demandas de produto, logística e serviços que a festa exige.

Não menos importante lembrar que além da Oktoberfest o Turismo Cervejeiro do Vale movimenta a economia regional o ano inteiro, trazendo trabalho e renda à muitas pessoas.

Cumpre nesse momento, então, sabermos se a comunidade blumenauense deseja transformar-se efetivamente na Capital Brasileira da Cerveja, ou se isso é apenas um título conferido por Lei Federal, sem maior importância na nossa cidade.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas