nsc
dc

Política

Bolsonaro visita Aparecida e ouve vaias e aplausos

Presidente chegou de máscara ao Santuário Nacional Aparecida nesta terça-feira

12/10/2021 - 16h30 - Atualizada em: 12/10/2021 - 17h44

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro, Aparecida, São Paulo
Presidente Jair Bolsonaro chegou de máscara ao Santuário Nacional Aparecida nesta terça-feira (12)
(Foto: )

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou de máscara ao Santuário Nacional Aparecida nesta terça-feira (12), pouco antes das 14h, para missa onde fez a primeira leitura, a liturgia da palavra. Ele estava acompanhado dos ministros Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) e João Roma (Cidadania). Antes disso, o presidente chegou de helicóptero ao Santuário Nacional, onde foi vaiado por um grupo, aos gritos de "fora Bolsonaro", e aplaudido por outro, aos gritos de "mito, mito". 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O público presente na missa, assim como os jornalistas, passou por detectores de metais e foi sujeito a revistas nas bolsas e mochilas. Bolsonaro se manteve de máscara durante a missa e, em dado momento, foi convidado pelo arcebispo dom Orlando Brandes a fazer a consagração da imagem de Aparecida, que estava no centro do altar.

— Ó Maria Santíssima, pelos méritos do Nosso Senhor Jesus Cristo., em vossa imagem da querida Aparecida, espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil — começou Bolsonaro, ao ler a Consagração à Nossa Senhora da Conceição Aparecida. 

Ainda na presença de Bolsonaro, o padre José Ulisses, diretor da Academia Marial de Aparecida, fez um discurso discreto, mas cheio de referências à atual situação do pais. 

— Este é o santuário da palavra de Deus e da Sagrada Família. Bom, você que está aqui hoje, neste 12 de outubro de 2021, pode agradecer por estarmos aqui, vivos. Ela [Nossa Senhora] enxuga as lágrimas de muitas famílias. Muita gente morreu, mas hoje é o momento de olhar a imagem da nossa Mãe e dizer obrigada. 

O religioso seguiu seu discurso dirigido aos familiares das mais de 600 mil vítimas da Covid-19 no país. 

— Ela [Nossa Senhora] nos ensinou a seguir em frente. Se ela pudesse, chegaria perto de cada um de nós para dar um abraço fraterno. 

> “Não vou congelar o preço dos combustíveis na canetada”, diz Bolsonaro

> Michelle Bolsonaro canta sertanejo em aniversário de Mario Frias; veja vídeo

Uma devota de Santa Catarina, segurando uma imagem de Nossa Senhora, pedia uma foto ao presidente. 

— Vim pedir a bênção da Santa e fui abençoada com a presença do presidente. Se conseguir, vou entregar a imagem para ele ser abençoado — disse. 

O religioso seguiu falando sobre o valor da vida. 

— O valor de cada um de nós deve prevalecer a qualquer outro [valor], inclusive religioso. Ninguém vive sozinho, e graças à solidariedade, nós conseguimos atravessar uma crise muito grave. Esse é um ato heroico. 

Enquanto o presidente ouvia o sermão que enfatizou as vítimas da pandemia, Ulisses abençoou todos os agentes de saúde, "que se desdobraram para dar seu melhor nesses tempos difíceis." 

— Há várias mesas vazias, desemprego. Mas Nossa Senhora está aqui hoje para repartir o bolo do seu aniversário, sem distinção. Somos o povo de Deus. E a maior dignidade que temos deve prevalecer ao povo de Deus. Só assim poderemos construir um país e, assim, sonhar com a paz e a justiça. 

> Veto de Bolsonaro a distribuição de absorventes é criticado em SC: “Vai gastar com o SUS depois”

> Moraes manda PF tomar depoimento de Bolsonaro em 30 dias

O religioso ainda elogiou os "bem aventurados" que promovem a paz. 

— Que haja mais desarmamento, mais felicidade e mais humanidade — disse ele olhando na direção de Bolsonaro e de seus ministros. — Em seu aniversário, tudo que Nossa Senhora deseja é a vida. 

E continuou. 

— Que a vida, esse presente de Deus, seja algo a ser defendido antes de qualquer projeto de sociedade. O dragão da pandemia assolou nosso país, assim como da ganância, para que uns tenham uma vida de luxo. Esses dragões devem ser vencidos. 

No final da missa, o arcebispo dom Orlando Brandes agradeceu a presença de Bolsonaro e de seus ministros. O presidente foi embora após o fim da missa sem falar com a imprensa. Ao voltar para o helicóptero, Bolsonaro foi cercado por seus guarda-costas, que colocaram uma espécie de mochila no presidente para protegê-lo. Ele foi saudado por populares que gritavam "mito, mito" em coro.

*Por Tatiana Cavalcanti.

Leia também

Pode beber depois de tomar a vacina da Covid?

Sexo em público é crime? Entenda a sentença

Precisa renovar a CNH? Confira as datas

Bolsa Família 2021; confira o calendário

Semana com apenas 4 dias? Saiba como trabalhar menos e ganhar mais

Colunistas