nsc
dc

Pandemia

Cidades de SC vão negociar mais doses da CoronaVac após anúncio da eficácia da vacina

Na semana que vem, uma reunião com o Instituto Butantan deve confirmar a compra de, pelo menos, 500 mil doses do imunizante

07/01/2021 - 16h08 - Atualizada em: 07/01/2021 - 16h32

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
Vacina CoronaVac
Eficácia da CoronaVac foi divulgada nesta quinta-feira (7)
(Foto: )

Após os estudos finais da Coronavac no Brasil mostrarem eficácia de 78%, a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) comemorou o resultado dos testes e planeja negociar mais doses para SC do imunizante contra o coronavírus. Na semana que vem, uma reunião com o Instituto Butantan deve confirmar a data da compra de, pelo menos, 500 mil doses do imunizante para as cidades catarinenses.

> Análise: Com meio milhão de infectados, SC precisa estabelecer quantas vidas ainda pode salvar

O consultor de saúde da Fecam, Jailson Lima, diz que o resultado do estudo é positivo e defende que a CoronaVac é tão eficaz quanto ou até mais do que as outras vacinas que já estão sendo utilizadas em caráter emergencial, como a da Pfizer e da Moderna, que comprovaram mais de 90% de eficácia:

— Esse resultado é excelente porque é um vírus inativado e os estudos foram feitos com profissionais da saúde, que vivem no dia a dia o contato com o vírus. A Pfizer e a Moderna fizeram testes com público genérico. Se a Coronavac tivesse feito o mesmo tipo de estudo, com certeza a eficácia iria passar de 90%. Eu considero que essa vacina é até mais eficiente do que a da Pfizer, porque a Pfizer não tem pra entregar.

Jailson destacou também que a logística de armazenamento da Coronavac, que não precisa ser armazenada em temperaturas tão baixas, auxilia na rapidez de entrega para os municípios e na abrangência da vacinação.

> Vacina da Covid em Florianópolis: locais, seringas, freezers e o que se sabe até agora

Por esses motivos, a Fecam pretende continuar as negociações com o Insituto Butantan para comprar mais doses da vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech. Em dezembro, o órgão assinou, em São Paulo, um protocolo que reserva 500 mil doses da Coronavac para os municípios de Santa Catarina.

Na semana que vem, uma nova reunião vai acontecer para discutir a compra, após a aprovação do uso emergencial da vacina pela Anvisa. Caso seja confirmada, os municípios e consórcios intermunicipais de saúde de cada região poderão fazer a compra direta das doses com o Instituto Butantan.

> Perto de ser anunciado, plano de vacinação de Joinville quer imunizar todos

— A reunião na semana que vem é para verificar a compra, data e quando podemos ter, caso o Ministério da Saúde não assuma a compra e faça a distribuição para os estados. Os municípios de Santa Catarina estão interessados em adquirir as doses, mas estamos dependendo de quantas estarão disponíveis — explicou.

Também na semana que vem, a Fecam fará um reunião em Curitiba, para firmar uma possível parceria com o governo do Paraná que irá comprar doses da vacina russa Sputnik V.

O objetivo é criar um protocolo de intenções semelhante ao que foi feito com o Instituto Butantan para garantir as doses da CoronaVac aos municípios catarinenses.

Leia também:

> Vacinação contra a Covid-19 em Blumenau será centralizada num único endereço

> Florianópolis tem queda de 33% em casos ativos de coronavírus em 15 dias; veja situação por bairro

> Volta às aulas em SC: confira como e quando será a retomada nas escolas públicas e particulares

> Carnaval 2021 está cancelado em Florianópolis, Balneário Camboriú e Laguna por conta da pandemia

Colunistas