nsc

Covid-19

"Tratamento precoce em Chapecó é tratar imediatamente", diz prefeito João Rodrigues

Chapecó recebe a visita do presidente Jair Bolsonaro

06/04/2021 - 17h20 - Atualizada em: 06/04/2021 - 17h24

Compartilhe

Mateus
Por Mateus Boaventura
Raphael
Por Raphael Faraco
João Rodrigues, prefeito de Chapecó
João Rodrigues, prefeito de Chapecó
(Foto: )

Chapecó recebe nesta quarta-feira (07) a visita do presidente Jair Bolsonaro, que vai acompanhar o que cidade fez até aqui na condução da pandemia de Covid-19. Um dos pontos indicados pelo prefeito João Rodrigues como fator para redução no número de caos e mortes é o tratamento precoce — elogiado pelo presidente. 

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Em entrevista ao CBN Hub, o prefeito disse que não há polêmica. O que existe, na avaliação dele, é uma confusão sobre o que é tratar de forma precoce.

— O fato é que as pessoas estão confundindo e isso me deixa preocupado e irritado. Tratamento precoce para nós em Chapecó não é especificamente cloroquina e ivermectina. Não estamos tratando da marca do remédio. Tratamento precoce é tratar imediatamente. A medicação é o médico que define para o paciente em cada estágio da doença — disse.

> Exemplo para Bolsonaro, Chapecó ainda tem UTIs lotadas e letalidade acima da média

João Rodrigues também citou outros fatores para redução dos casos. A cidade teve que restringir a circulação de pessoas, o que ajudou a diminuir o colapso do sistema de saúde. 

— É o conjunto da obra que permitiu estar onde estamos. Não é uma ação isolada, é um conjunto. São mais de 300 profissionais que trabalham lá na ponta, no posto de saúde, onde ficamos tratando só Covid por um período. O conjunto também é testar rapidamente e isolar quem está infectado — contou.

Números

A colunista Dagmara Spautz levantou que a região Oeste chegou a ter 170 pacientes aguardando vaga de terapia intensiva. Nesta segunda-feira (5), a cidade zerou a lista de espera por leitos de UTI pela primeira vez desde o fim de fevereiro. Ao longo dos últimos dias, a prefeitura desmobilizou as internações alternativas, em leitos semi-intensivos que foram instalados no Centro de Eventos.

> Estado afrouxa decreto enquanto mais de 200 estão na fila de espera por UTI

No entanto, os dados da Secretaria de Estado da Saúde apontam que as UTIs ainda estão lotadas no município, com 100% de ocupação. Isso é resultado do período longo de internação, que é uma característica da Covid-19, e que provoca o inchaço no sistema de saúde dos municípios.

> “Vamos fazer um pacote de virada de jogo”, afirma o prefeito de Chapecó, João Rodrigues

Colunistas