nsc
nsc

Pandemia

MPF investiga se atos do prefeito de Chapecó ajudaram a propagar a Covid-19

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
16/09/2021 - 20h27 - Atualizada em: 17/09/2021 - 09h57
Prefeito de Chapecó, João Rodrigues
Prefeito de Chapecó, João Rodrigues (Foto: Divulgação)

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito para apurar se medidas tomadas pela prefeitura de Chapecó favoreceram a transmissão da Covid-19 e colaboraram para a crise sanitária enfrentada entre fevereiro e março deste ano, quando a região Oeste vivenciou colapso no sistema de saúde. A informação é do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Segundo a publicação, o MPF listou no inquérito atos do prefeito João Rodrigues (PSD) como o incentivo ao uso de “tratamento precoce”, com remédios como cloroquina e ivermectina, e a flexibilização de atividades no período que antecedeu a explosão de casos. João Rodrigues pode responder por improbidade administrativa.

Tubarão de dois metros aparece na praia em Balneário Camboriú; vídeo

O que diz o prefeito

João Rodrigues disse à coluna que soube da investigação pelo jornal O Globo, e contestou as informações do inquérito.

- É infundada, improcedente, inconsequente e injusta essa manifestação – afirmou.

Empresário de Itajaí está foragido em ação da PF contra tráfico internacional

Quanto às flexibilizações, o prefeito afirma que Chapecó tinha as mesmas regras das demais cidades do Estado, e que tomou medidas quando estouraram os casos de Covid-19 na cidade. Ainda de acordo com ele, as decisões a respeito da gestão da pandemia foram tomadas de forma colegiada, em um grupo que contava com médicos, representantes de hospitais, entidades empresariais e órgãos públicos.

Deputado de SC diz que o Mato Grosso do Sul fica na região Sul; vídeo

Quanto ao tratamento precoce, o prefeito nega que tenha adotado a medida como protocolo.

- Chapecó nunca teve protocolo (de tratamento precoce). Apoiamos sim os médicos que tiveram a iniciativa de fazer o tratamento precoce. E outros médicos fizeram os protocolos normais, sem tratamento precoce. Não proibimos, apoiamos o que os médicos desejavam fazer.

Exemplo

Chapecó foi considerada exemplo de reação à pandemia pelo presidente Jair Bolsonaro, que esteve na cidade no dia 7 de abril para conhecer a experiência do município. Em seu discurso, o presidente criticou medidas restritivas e fez defesa do tratamento precoce.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia também

Teve reação à vacina da Covid-19? Saiba o que fazer

Entenda o conflito no Afeganistão com volta do Talibã ao poder em 10 perguntas e respostas​​​​

Variante Delta: veja a eficácia de cada uma das vacinas da Covid​​

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

Nevascas históricas em Santa Catarina; veja fotos e quando aconteceram

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas