nsc
nsc

Infraestrutura

Quando empresa que venceu leilão vai assumir os aeroportos de Joinville e Navegantes

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
12/05/2021 - 06h20 - Atualizada em: 12/05/2021 - 07h01
Aeroportos de Joinville e Navegantes foram leiloados pelo governo federal
Aeroportos de Joinville e Navegantes foram leiloados pelo governo federal (Foto: Patrick Rodrigues, Arquivo NSC)

O leilão dos aeroportos do Bloco Sul, que foram arrematados pela empresa CCR, já completou um mês. Mas ainda não há uma data marcada para que a futura concessionária assine o contrato e passe a administrar os aeroportos concedidos pelo governo federa nesta rodada – entre eles, os de Joinville e Navegantes.

> Estado vai ao Supremo para obrigar construção de pista no Aeroporto de Navegantes

Nesta sexta-feira (14), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publica o resultado da análise dos documentos apresentados pela CCR após o leilão. Na segunda-feira (17) inicia, então, o período de recursos. Essa fase segue até o dia 4 de junho.

A etapa seguinte é a homologação dos resultados, a apresentação dos pré-requisitos para contratação e, por fim, a celebração do contrato – todas essas fases não têm prazo especificado pela Anac.

> Como o leilão do Aeroporto de Navegantes vai levar o terminal a 30 anos de atraso

O valor de outorga oferecido pela CCR foi de R$ 2,1 bilhões, um ágio de 1.534% em relação ao valor de referência do bloco sugerido pelo governo, que era de R$ 131 milhões. Esse é o montante que concessionária precisará pagar na largada, para concluiu o negócio, e não inclui investimentos futuros.

> “Vai dar em pedido de impeachment”, diz Amin sobre leilão do Aeroporto de Navegantes

O edital de concessão é alvo de uma ação na Justiça Federal, movida pelo Foro Metropolitano de Itajaí, e de uma ação movida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) no Supremo Tribunal Federal (STF). Os questionamentos dizem respeito ao esvaziamento das obrigações da concessionária em relação ao Aeroporto de Navegantes. O edital excluiu a obrigatoriedade de abertura de uma nova pista para o terminal, que estava prevista no Plano Diretor.

> Como Santa Catarina perdeu para o Paraná na batalha do leilão dos aeroportos

O Procurador Geral do Estado, Alisson Souza, disse à coluna que embora a ação tenha sido impetrada no período de interinidade de Daniela Reinehr (sem partido) à frente do governo, não há qualquer mudança de entendimento por parte da PGE. Segundo ele, a ação já vinha sendo discutida internamente antes mesmo do afastamento do governador Carlos Moisés (PSL). 

A Procuradoria alega, no Supremo, que houve desrespeito ao pacto federativo, uma vez que, enquanto SC perdeu previsão de investimentos, o Paraná ganhou – o edital obriga a construção de uma nova pista no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, que não havia sido considerada nos estudos iniciais para concessão.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

Morte de grávidas por Covid-19 aumentou quase seis vezes em SC

Empresário de SC revela que Paulo Gustavo tinha filme pronto para gravar

SC ficará fora da corrida dos estados pela compra da vacina

Jovem de SC consegue autorização na Justiça para plantar maconha

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas