nsc
nsc

Desenvolvimento

Nos canyons, parques e turismo, as apostas para o salto do extremo Sul catarinense

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
21/07/2021 - 15h24 - Atualizada em: 21/07/2021 - 16h19
Beleza é o que não falta para os visitantes de Praia Grande
Beleza é o que não falta para os visitantes de Praia Grande (Foto: Prefeitura de Praia Grande/Divulgação)

Praia Grande tem razões de sobra para comemorações na semana dos seus 63 anos, celebrados na última segunda-feira (18). O município de 7 mil habitantes do extremo Sul catarinense vive a expectativa dos grandes investimentos que estão a caminho, por conta da concessão dos parques da Serra Geral, em Santa Catarina, e dos Aparados da Serra, no lado do Rio Grande do Sul, para a iniciativa privada.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A empresa de engenharia e construção Construcap foi a vencedora do processo, propondo pagamento de outorga de R$ 20,5 milhões para investimentos e exploração na área pelos próximos 30 anos. A meta é arrojada: aplicar R$ 269 mlhões, sendo R$ 100 milhões em no máximo dois anos. 

Esses planos foram reforçados na última segunda em audiência do diretor da Construcap, Marcelo Skaf, com o prefeito de Praia Grande, Elisandro Pereira, e o secretário municipal de Turismo, Jorge Scandolara.

- A Construcap nos confirmou que começa os serviços já nos próximos dias, que vão trabalhar na infraestrutura, para oferecer receptivo, bares, restaurantes, sanitários e lojas para receber os turistas no lado de Praia Grande e também no lado gaúcho, em Cambará do Sul - afirma o prefeito. - A intenção dos investidores é que os turistas já contem com uma estrutura provisória imediata - destaca.

> Conheça receitas deliciosas para encarar o frio em Santa Catarina

Quadruplicar o número de turistas

A Construcap lida com um claro objetivo: - tornar os parques de Praia Grande e Cambará do Sul os mais visitados do Brasil - responde o prefeito. - Nós recebemos aqui 250 mil turistas por ano, eles querem chegar a 1 milhão - emenda. Belezas naturais é o que não faltam para explorar, com destaque para os canyons, com destaque para o Itaimbezinho, com acesso pelo lado gaúcho, e o Fortaleza, no lado catarinense.

Entre as previsões dos investidores, estão, além dos aparatos aos turistas, instalação de mirantes, plataformas de vidro, trilhas autoguiadas e pavimentadas. Atualmente, a estrutura existente é mínima. Há carências de sinalização e não existem nem banheiros, nem lixeiras. A visitação aos parques, atualmente, não é cobrada, mas quando iniciar oficialmente a exploração pela Construcap o acesso custará R$ 50 para um parque e R$ 80 para os dois. 

Essa concessão é a primeira do gênero operada pelo Ministério do Meio Ambiente, e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) continuará monitorando a área, com a Construcap devendo seguir todos os regramentos para evitar impacto ao meio ambiente.

> SC confirma cinco primeiros casos importados da variante Delta do coronavírus

O investimento já aquece a economia de Praia Grande. Terrenos na cidade se valorizaram até 300% nos últimos quatro anos. - Temos muitas consultas de empresários, que querem trazer pousadas e hoteis para cá - entusiasma-se o prefeito Elisandro. O município já vive um momento de crescimento no turismo, com cerca de 60 pontos de hospedagem em operação e crescimento constante nos finais de semana, tanto para os canyons quanto para a observação e os passeios de balões.

Um problema: o acesso

O então ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve no lado gaúcho, em Cambará do Sul, para lançar o edital da concessão posteriormente vencida pela Construcap. - Ressaltamos aqui a importância do ecoturismo - enfatizou, na ocasião, chamando a região de uma "joia" para o Brasil.

Por Praia Grande, o acesso ao canyon Fortaleza se dá por uma estrada municipal de 13 quilômetros. Na sequência, outros 5 quilômetros em estrada de chão e pedregoso, além de falta de qualquer orientação para chegar aos pontos turísticos.

O processo previu investimentos na rodovia de acesso aos parques por Cambará do Sul, mas não por Praia Grande. Tanto que para chegar pelo lado catarinense, continua sendo necessário trafegar pela SC-290, a rodovia da Serra do Faxinal, cuja pavimentação está sendo preparada pelo Governo do Estado. 

Ministro Ricardo Salles esteve na região em outubro
Ministro Ricardo Salles esteve na região em outubro
(Foto: )

A intenção do governador Carlos Moisés é lançar o edital para contratar a empresa ainda em agosto, e iniciar as obras no trecho em janeiro de 2022.

Leia também

> SC terá vacinação em massa na fronteira com a Argentina

> Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

> As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

> Nevascas históricas em Santa Catarina; veja fotos e quando aconteceram

> Efeitos colaterais da astrazeneca; veja os sintomas mais relatados

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas