nsc
    nsc

    Economia

    Empresa de Caçador tem duas fábricas dedicadas exclusivamente para exportações

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    10/09/2018 - 05h20

    Sexta-feira, 13 de agosto, pode ser dia de muita sorte para quem trabalha para realizar sonhos. Em 1990, o então jovem casal Lire e Leonir Tesser tinha como propósito de vida ter uma fábrica em Caçador, Oeste de SC. Em março daquele ano, compraram uma pequena empresa que produzia aberturas de madeira e vendia na região. Três anos depois, um empresário amigo, Maurício Grando, apresentou um cliente mexicano interessado em portas de pinus. A Temasa criou um projeto em algumas horas e o cliente passou a comprar mil portas por mês, por US$ 22 mil. 

    – Embora não tivéssemos toda a estrutura e equipamentos necessários para trabalhar com exportação, tínhamos a garra e a vontade. Tivemos também a ajuda de tantas outras empresas que nos emprestavam máquinas e disponibilizavam matéria-prima com prazos de pagamentos que nos beneficiavam. Nosso primeiro container embarcado foi numa sexta-feira 13 de agosto de 1993, data histórica para nós e nossa empresa – conta Lire Tesser. 

    A Temasa iniciou atividades com apenas um empregado. Hoje é um grupo com duas fábricas em Caçador dedicadas 100% à exportação, que juntas geram 600 empregos diretos, e mais duas empresas na área florestal. Se consolidou no exterior como fornecedora de móveis de madeira de pinus maciço, principalmente produtos desmontados para o mercado “Monte você mesmo”. A produção é totalmente verticalizada, desde o plantio do pinus, colheita, serragem, secagem e industrialização dos móveis. 

    Os negócios superaram R$ 100 milhões ano passado e devem crescer 10% este ano. 

    A Temasa exporta para países como os Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Inglaterra, Espanha, China e Japão. Os produtos da marca estão nos maiores varejistas do mundo como Ikea, Walmart, Argos, Lidl, Jysk, Aldi e outros. 

    – A melhor forma de se manter no mercado internacional é ser extremamente competitivo e zeloso pela qualidade, além de cumprir religiosamente os prazos de embarques – explica Leonir.

     

    Crescimento com sustentabilidade

    A Temasa encontrou um nicho de mercado de móveis sustentáveis no  qual planeja continuar crescendo. A empresa está confiante de que continuará se adaptando às mudanças tecnológicas, de qualificação, sustentabilidade e inovação. Os fundadores da Temasa admitem que o sobe e desce do dólar atrapalha, mas é preciso se preparar para enfrentar essas instabilidades.  

    Veja também:

    90% das exportadoras de SC vão vender mais para o exterior neste ano e em 2019 

    54% da receita líquida da WEG vem de exportações 

    Ideia de negócio: como empresa de Blumenau inventou ralo inovador

    Empresa de SC coloca Brasil entre países produtores de chocolates finos

    Empresa catarinense vai vender cosméticos veganos e hipoalergênicos para o exterior

    Tecnologia de moda de SC passa a ser fabricada também na Itália 

    Tupy vende 83% da produção para outros países

    Como a BRF, oitava maior exportadora do País, começou a vender para fora

    Como a Apex-Brasil ajuda empresas a começar a exportar

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas