nsc
nsc

Conflito

Caso de racismo volta a agitar bastidores do setor cervejeiro no Brasil

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
27/11/2021 - 08h47
Caso respinga na imagem do Concurso Brasileiro de Cervejas
Caso respinga na imagem do Concurso Brasileiro de Cervejas (Foto: Daniel Zimmermann, BD)

O setor cervejeiro está fervendo nos bastidores. Cerca de 10 dias depois de a AfroCerva, um coletivo formado por profissionais negros do ramo, publicar uma carta aberta cobrando uma posição do Concurso Brasileiro de Cervejas (CBC) sobre a participação, na organização da competição, de um profissional envolvido em ataques racistas em 2020, nesta sexta-feira (26) foi a vez da Associação Brasileira da Cerveja Artesanal (Abracerva) reforçar o coro.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

Em nota (leia na íntegra abaixo), a Abracerva pediu esclarecimentos ao CBC “acerca dos últimos fatos ocorridos” e disse querer “respostas de como são tratadas as questões raciais e de gênero dentro do âmbito do CBC, dos seus integrantes, patrocinadores e apoiadores”. Vinda da maior e principal entidade representativa do setor de cervejas artesanais no Brasil, a cobrança indiscutivelmente ganha ainda mais peso.

Ao endossar o posicionamento da AfroCerva, a Abracerva indicou que o caso não foi resolvido nesse meio tempo. Pouco depois da nota da entidade, uma postagem nas redes sociais do Festival Brasileiro da Cerveja e do CBC anunciava que os próximos eventos cervejeiros de Blumenau “serão regidos por uma área de compliance, inédita neste setor no país”. Não há menção direta à reivindicação das associações.

Responsável pela organização do CBC, a Associação Blumenauense de Turismo, Eventos e Cultura (Ablutec) não respondeu publicamente aos pedidos e tenta contornar a situação sem muito alarde. A entidade enviou à Abracerva uma nota de esclarecimento, a qual a coluna teve acesso (leia na íntegra abaixo).

Nela, diz não compactuar com atitudes discriminatórias e que zela pelo respeito à diversidade representada na sociedade. Acrescenta ainda que “jamais aceitaria contratar alguém que respondesse – ou já tivesse sido denunciado – pelo crime de racismo ou injúria racial ou outro delito que atente contra a imagem dos eventos e de seus expositores e frequentadores”.

Nenhuma das partes cita nomes, mas a situação chegou a um ponto crítico. O conflito nos bastidores respinga na imagem do CBC, uma das maiores competições do gênero no mundo, e a falta de maiores esclarecimentos sobre o caso enfraquece o necessário debate sobre representatividade de grupos que historicamente sofrem com discriminação. Ainda há tempo para reparações.

O que diz a Abracerva

Associação publicou nota pública nesta sexta-feira (26):

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS MICROCERVEJARIAS E EMPRESAS DO SETOR CERVEJEIRO – ABRACERVA, responsável e com o compromisso de “defender interesses gerais de seus associados para o fortalecimento da Associação e a promoção de atividades e finalidades de relevância pública e social”, além de outras atribuições como fomentar e estimular o crescimento e o aprimoramento do mercado cervejeiro, conforme constam em nosso estatuto; vem através desta nota pública pedir esclarecimentos do Concurso Brasileiro de Cerveja acerca dos últimos fatos ocorridos.

É de nosso conhecimento que na comissão organizadora do concurso há a participação de um membro que foi um dos principais protagonistas dos fatos ocorridos em 2020 relacionados a ataques racistas e misóginos no meio cervejeiro. Devido a acontecimentos esta associação realizou profundas mudanças em sua diretoria, já que não compactuou à época e não compactua com esses tipos de práticas e ações que não contribuem para a criação de um mercado cervejeiro maduro e produtivo muito menos para uma sociedade sem preconceitos e qualquer forma de discriminações.

Desta forma, a ABRACERVA através desta nota quer respostas de como são tratadas as questões raciais e de gênero dentro do âmbito do CBC, dos seus integrantes, patrocinadores e apoiadores.

Em 17/11/2021, o Coletivo AfroCerva, do qual fazem partes membros que foram duramente atingidos pelos atos ocorridos em 2020 e dos quais o integrante desse concurso foi um dos protagonistas, publicou a Carta Aberta – também enviada por email à Ablutec – Associação Blumenauense de Turismo, Eventos e Cultura, com questionamentos em relação à postura do Concurso Brasileiro de Cerveja. Porém, recebemos informações de membros do coletivo que também são associados da ABRACERVA, que não foram procurados para nenhum esclarecimento.

Conforme conta em nosso estatuto, também é papel desta associação “defender interesses gerais de seus associados e representar, na condição de parte com legitimidade ativa, passiva, ou de terceiro interessado, dispensada a prévia aprovação em assembleia, a defesa de interesses individuais homogêneos, difusos e coletivos de todos os seus associados ou apenas parte deles…”.

Diante disso, a ABRACERVA vem através desta nota pública manifestar todo o seu repúdio e pedir explicações da organização do Concurso Brasileiro de Cerveja 2022, que tem, comprovadamente, entre os componentes da sua comissão organizadora, um dos envolvidos nos ataques de 2020.

Portanto, nos juntamos ao Coletivo AfroCerva e também cobramos um posicionamento da organização, dos patrocinadores e apoiadores, bem como cervejarias e demais membros desta associação.

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS MICROCERVEJARIAS E EMPRESAS DO SETOR CERVEJEIRO – ABRACERVA , em respeito aos seus princípios e aos seus associados não pode compactuar com racismo, homofobia, misoginia e demais formas de preconceitos.

O que diz a Ablutec

Responsável pela organização do CBC, a Ablutec enviou uma nota à Abracerva, a qual a coluna teve acesso:

Em resposta ao questionamento feito pela Abracerva, entidade pela qual temos o devido respeito e reconhecimento, esclarecemos que:

- A Ablutec não compactua com quaisquer atitudes discriminatórias e zela pelo máximo respeito à diversidade representada na sociedade;

- Em iniciativa inédita entre eventos cervejeiros nacionais e, certamente, da América Latina, estamos implantando uma área de compliance dedicada aos quatro eventos cervejeiros que promovemos: Concurso, Festival, Feira e agora o Congresso. Além disso, estamos firmando compromissos com práticas de sustentabilidade, governança e responsabilidade social, em conformidade com as políticas corporativas contemporâneas.

- Não há na coordenação da instituição pessoa relacionada aos episódios que a Abracerva menciona. A coordenação-geral é da presidência da entidade e o Senac/SC responde pela coordenação técnica, estratégica e de logística do Concurso Brasileiro de Cervejas (CBC).

- A Ablutec resguarda-se no direito de selecionar seus colaboradores ou prestadores de serviços, mas jamais aceitaria contratar alguém que respondesse - ou já tivesse sido denunciado - pelo crime de racismo ou injúria racial ou outro delito que atente contra a imagem dos eventos e de seus expositores e frequentadores.

Blumenau, 26 de novembro de 2021.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Licitação do Mercado Público de Blumenau termina sem propostas

Blumenau e Florianópolis sobem e Joinville cai em ranking de cidades com serviços inteligentes

Britânia planeja investir R$ 130 milhões em nova fábrica de eletrodomésticos em SC​

Empresa gaúcha de refrigerantes abre novo centro de distribuição em Blumenau

Carta aberta ao Concurso Brasileiro de Cervejas reacende debate sobre racismo no setor

Segunda maior casa enxaimel de Blumenau vai ganhar anexo para ser concedida à iniciativa privada

Malwee reforça na COP-26 o papel de protagonista no debate ambiental na indústria​​

Natal em Blumenau tem potencial para ser a Oktoberfest de novembro e dezembro​​​​​​

Laboratório Hemos de Blumenau é vendido por R$ 35 milhões a gigante nacional da medicina

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas