nsc
nsc

Covid-19

“Não são iguais, mas todas são eficazes”, garante Associação Médica Brasileira sobre vacina contra Covid

Compartilhe

Raphael
Por Raphael Faraco
07/06/2021 - 18h34 - Atualizada em: 07/06/2021 - 21h46
AMB reforça a importância da vacinação contra a Covid
AMB reforça a importância da vacinação contra a Covid (Foto: Carlos Osorio / Pool / AFP)

O presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), César Eduardo Fernandes, reforçou, em entrevista ao CBN Hub desta segunda-feira (7), a importância de nos vacinarmos o quanto antes, independente do imunizante.

> "Conforme a vacina, eles recusam", observa comandante da PM no Sul de SC

— A Anvisa é uma agência seríssima. Não é um órgão de governo, é de Estado. E a Anvisa aprovou as três vacinas. O importante é que elas cheguem no nosso braço.

> Concessionária elogia decisão de Bolsonaro para novo sistema de pedágio; veja como vai funcionar

> Ação milionária de quase 30 anos chega ao fim na Justiça de SC

O médico lamentou que notícias falsas, muitas vezes direcionadas, sejam propagadas pela internet com o objetivo de confundir as pessoas, quando na verdade a mensagem correta é para que todos se vacinem.

— Vacine-se. E quando chegar no posto de saúde não escolha. Tome aquela que lhe for oferecida. Elas não são iguais, mas são eficazes. Todas são bastante seguras — completou.

> Competições de rua em SC podem ter semana decisiva

> Proibidas em SC, corridas clandestinas são divulgadas até por prefeitura

Reações adversas

Elas podem acontecer. Mas geralmente são mínimas. Febres pequenas ou algumas dores no local da aplicação. A grande maioria não sente nada depois. Mas claro, há a possibilidade, em casos pontuais, de outras reações. Como em qualquer tratamento. O presidente da AMB é ginecologista. E usou a sua especialidade para concluir a conversa.

— As pílulas anticoncepcionais por exemplo. Os médicos receitam desde a decada de 1960. São eficazes, mas têm efeitos colatareis. E em alguns casos, até graves. Você pode receitar para uma jovem e esta jovem ter um quadro de trombose, um acidente vascular cerebral. São graves, mas raros. O que não impede que as agências aprovem e nem há critérios de seleção. Claro que se há predisposiçao a um problema, você não receita. Mas no geral é muito difícil. Os efeitos trombóticos da vacina, tão comentados, são muito, muito, muito mais raros que nos casos dos anticoncepcionais. Eventos avdersos podem acontecer mas, do ponto de vista das vantagens que a vacina traz, é muito pior deixar a população a mercê da doença com o número de mortes assustador no país — finalizou César Fernandes.

Leia também

> Novo decreto em SC prorroga medidas contra pandemia até 15 de junho; veja as regras

> "As regras são suficientes, desde que cumpridas", diz secretário sobre decreto contra pandemia em SC

> Fiocruz alerta para piora da pandemia de Covid no Brasil; preocupação em SC é ainda maior

> "Talvez o pior momento ainda esteja por vir", diz secretário sobre a pandemia de Covid-19 em SC

> Veja como receber as principais notícias de Santa Catarina no Whats

Raphael Faraco

Colunista

Raphael Faraco

Jornalista com mais de 20 anos de carreira, editor e apresentador da NSC TV. Notícias em primeira-mão e informações de bastidores sobre o que acontece em SC.

siga Raphael Faraco

Raphael Faraco

Colunista

Raphael Faraco

Jornalista com mais de 20 anos de carreira, editor e apresentador da NSC TV. Notícias em primeira-mão e informações de bastidores sobre o que acontece em SC.

siga Raphael Faraco

Mais colunistas

    Mais colunistas