nsc
nsc

Relacionamento

Amor: entenda por que é importante sentir tudo o que ele desperta

Mago hermetista explica como o amor pode ser doloroso, mas que vale a pena ser sentido e vivido

08/02/2022 - 09h50 - Atualizada em: 08/02/2022 - 09h58

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Amor pode ser doloroso
Amor pode ser doloroso
(Foto: )

Quem nunca sofreu por amor, não é mesmo? Não importa o quanto a gente corra, o quanto a gente se esconda, o quanto a gente cresça e amadureça: a dor sempre nos espreita como um inimigo oculto que, a qualquer momento, pode dar as caras e nos pegar de surpresa.

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

O amor, às vezes, parece tão sorrateiro que nos pega naqueles momentos em que nos sentimos mais fortes e invencíveis, pode acontecer num metrô lotado, na fila da lotérica ou no escritório.

O amor também é algo bastante traiçoeiro. Ele pode se apresentar a você exatamente quando você já está tomado de amor por outro. Ele pode te tomar de diversas formas: mais carnal, mais espiritual, mais sentimental. Na forma de respeito, tesão, amizade, admiração.

Amor para os gregos

Os gregos definem o amor como deuses: Eros, Philos e Ágape, por exemplo. Cada um deles com suas peculiaridades e particularidades, cada um deles com suas armas e vontades. E sinceramente, quem sou eu para discordar dos gregos?

> Inferno astral: entenda o que é e como enfrentá-lo

A dor do amor

Acontece que o amor dói. Dói porque ele nos dá esperanças e essa coisa nos frustra quando a esperança não tem resposta. E quanto mais esperamos, mais frustrados ficamos até que...

... até que um dia o amor nos dá a chance de correspondências, e nós nos apaixonamos (abraçamos Eros) e essa paixão é correspondida.

O amor é importante, mas é uma armadilha

Dominar esta arte é dominar a vida, ser aquilo que nós chamamos de um “discípulo de Eros”, pois ela movimenta nossos instintos mais básicos da vida: nos oferece proteção e acalanto, sentimento de pertencimento a um grupo. Nos dá ideias para o futuro e planos, coisas sem as quais entramos em depressão ou ansiedade, coisas de nosso cérebro querendo dopamina. Faz parte.

Não posso dizer que o amor não é sublime, mas o que posso dizer é que o amor é, como todo o restante dos sentimentos que temos, uma armadilha. Ou nós somos senhores dele, ou ele nos domina. E quando domina, nos leva para onde ele quer, não nós. A partir deste momento, nós costumamos dizer que o amor adoeceu.

> Ciclo Lunar: entenda como ele influencia sua vida

Quando o amor adoece

Quando o amor adoece, coisas como liberdade e autonomia deixam de existir. Autonomia é tudo o que precisamos hoje em dia. Controlar nossas vidas nos deixa, por incrível que pareça, mais tranquilos.

O amor doente tira isso de nós e substitui pela vontade do outro. “O outro manda, eu faço o que o outro quer”. Deixo os amigos de lado, deixo a família de lado e parto como um curativo para esse amor doente, esperando que ele melhore.

Cultivando o amor

Vou contar uma coisa para você: o amor não funciona assim. O amor não é, em si, um sentimento que nós temos. Ele é um caldeirão onde os sentimentos fervilham, e o alimento que sairá deste caldeirão é aquele cujo ingrediente nós colocamos em maior quantidade.

“Cultivar o Amor”, acho eu, foi uma das coisas mais sábias que já nos disseram. Quando colocamos esse desbalanço de subserviência versus dominância, o que colhemos é... bom, nada que seja bom. Confuso, não é? Entretanto, quem de nós não quer o amor? Quem não o deseja como desejamos o alimento quando temos fome?

> Entenda como funciona a astrologia chinesa

Um sentimento múltiplo

O importante aqui, e é a mensagem que quero deixar a você, é que o amor é um sentimento múltiplo; não existem fórmulas para ele acontecer ou receitas para se colocar no caldeirão. Você sempre terá que agir por instinto e ver no que dá.

O amor vale a pena

Às vezes, pode dar certo por muito tempo, até que o tal do Eros se torne Philos e viva para sempre. Às vezes, dá certo por um curto espaço de tempo, até que Eros se enjoa e vai embora.

Mas se tem uma coisa que posso te dizer é que o amor sempre vale a pena. Pode doer em algum momento, mas essa dor é como aquela da academia: é uma dor que a gente sente para construir um músculo e nos deixar mais fortes para a vida.

Entenda o que é magia natural

*Por Nino Denani, pós-graduado em neuropsicologia, Mago Hermetista, Grão Mestre da Ordem do Grande Oriente Místico e host do canal do Nino Denani no YouTube.

Leia também

Programa das Minas conta histórias de quando a gente apresenta o namorado para a família

Estudo tenta explicar casais em que um pega Covid-19 e o outro, não

Programa das Minas fala sobre casais que trabalham juntos

Colunistas