nsc
dc

Quem assume?

Impeachment de presidente: entenda como funciona o processo

Você sabia que qualquer pessoa pode fazer um pedido de destituição do presidente? Veja como

07/07/2021 - 12h44 - Atualizada em: 07/07/2021 - 13h00

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
Um processo de impeachment ocorre em seis etapas
Um processo de impeachment ocorre em seis etapas
(Foto: )

O termo impeachment ganhou popularidade com o passar dos anos. De acordo com o significado que consta nos dicionários, a palavra significa a ação de impugnação de mandato; processo de cassação feito a partir de uma denúncia crime contra uma autoridade.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A ação é decorrente de um processo político-jurídico, no qual se apura o julgamento de crimes de responsabilidade cometidos por ministros do Estado e do Supremo Tribunal Federal, vice-presidente, presidente da República e governadores.

Ele é previsto pela Lei dos Crimes de Responsabilidade, Lei 1.079/50 e pelo Artigo 85 da Constituição Federal.

No impeachment de um presidente, por exemplo, a sentença é proferida pelo poder legislativo. A desocupação do cargo em questão é resultado deste processo: Fernando Collor de Mello sofreu um impeachment em 1992, mesmo tento renunciado antes do processo ser concluído.

Além dele, a presidente Dilma Rousseff também teve o processo concluído e foi retirada do cargo presidencial em 2016.

Mas quais são os trâmites e quanto tempo demora para que um processo possa ser concluído? Continue lendo para entender.

> Entenda o superpedido de impeachment de Bolsonaro

Quais são os crimes para um impeachment

De acordo com a Lei nº 1.079 que define os crimes de responsabilidade e regula o respectivo processo de julgamento, os atos ilegais previstos para a possível destituição de cargo de um presidente são:

Crimes de responsabilidade especificados pela lei;

Crimes contra a existência da união

Crimes contra a segurança interna do país

Crimes contra a probidade na administração

Crimes contra o livre exercício dos poderes constitucionais

Crimes contra o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais

Crimes contra a lei orçamentária

Crimes contra a guarda e legal emprego dos dinheiros públicos:

Crimes contra o cumprimento das decisões judiciárias;

Palácio do Planalto
Palácio do Planalto
(Foto: )

> Dor de cabeça pós-Covid; entenda a sequela da doença

Como funciona o processo de impeachment

Vale lembrar que os processos de impeachment são diferentes em cada uma das esferas políticas, ou seja, as pessoas que julgam o processo de impeachment de um governador, por exemplo, não serão as mesmas que julgarão um processo em nível nacional.

Um processo de impeachment presidencial é divido em seis etapas. No entanto, o tempo de duração em cada uma das etapas é variável em cada um dos julgamentos, de acordo com a especificidade e particularidade de cada ação. Além disso, o tempo relativo também diz respeito à quais crimes estão sendo julgados no pedido.

Por exemplo, o processo de Fernando Collor de Mello levou oito anos para ser concluído. Já o processo de Dilma Rousseff levou cerca de nove meses.

> Veja mapas e dados da vacinação contra a Covid-19 por cidade

Etapas de um processo de impeachment

Em um impeachment a nível presidencial, se houver acusações contra o presidente da República, o processo acontece em seis fases: pedido, acolhimento, primeira votação (na Câmara), envio para o Senado, segunda votação (no Senado) e penalização.

> Efeitos colaterais da astrazeneca; veja os sintomas mais relatados

Pedido

Um pedido de impeachment pode ser apresentado à Câmara dos Deputados por qualquer pessoa. No pedido, precisa constar a devida caracterização do crime cometido pelo presidente. A partir deste ato, o presidente da Câmara decidirá se há procedência no pedido e se ele será arquivado ou encaminhado aos parlamentares. Se houver acolhimento, o andamento do pedido, o presidente da Câmara o encaminhará aos deputados federais e o pedido seguirá para a segunda parte.

> As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

Acolhimento

Os deputados recebem o pedido e formam uma comissão para apreciá-lo em dez sessões e elaborar um parecer. Nesse tempo, o presidente da República tem a possibilidade de apresentar a sua defesa.

Primeira votação

Há uma primeira votação na Câmara, que geralmente acontece em até 48 horas após o primeiro parecer. O pedido é incluído na ordem do dia e votado em plenário por deputados (513, ao todo). São necessários dois terços dos votos, ou seja 342 votos favoráveis à impugnação do presidente para que a abertura do processo de impeachment seja recomendada ao Senado.

> Sputnik V: a eficácia da vacina que chegará no Brasil

Envio para o Senado

O Senado Federal recebe o pedido. Neste momento é montada outra comissão para apreciação e elaboração de um novo parecer. Após esta etapa, os senadores votam em plenário se abrem ou não o processo de impeachment - esta fase necessita apenas de maioria simples dos parlamentares presentes, metade mais um. Se a abertura do processo for aprovada, o presidente da República é obrigado a se afastar do cargo por 180 dias, até que ocorra a segunda votação no Senado.

Segunda votação

A sessão com os senadores é presidida pelo presidente do Superior Tribunal Federal. Após a comissão concluir a análise do caso, que pode ter depoimentos dos envolvidos, os senadores votam se aprovam o impeachment do presidente. Nesta votação, é necessário que dois terços dos senadores sejam favoráveis à destituição do presidente para que o impeachment se cumpra, ou seja, 54 de 81 senadores.

> Butanvac: tudo sobre a vacina brasileira contra a Covid-19

Penalização

Se a votação no Senado for favorável, o presidente da República é condenado, afastado do cargo definitivamente e fica inelegível por oito anos. No caso do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), os senadores decidiram não aplicar a pena de perda dos direitos políticos por esse período de oito anos. Após o impeachment, o posto presidencial é então ocupado pelo vice-presidente. *Caso o vice também esteja envolvido na denúncia ou não possa assumir o cargo por outro motivo, será substituído temporariamente pelo presidente da Câmara dos Deputados, do Senado ou do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta ordem.

A CPI da pandemia pode acabar em pizza?

Leia também

Motociata e aglomeração: como foi a visita de Bolsonaro a Chapecó

Cirurgia de aumento do pênis; conheça o procedimento

Recorde de frio em SC: confira as menores temperaturas registradas na história

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Colunistas