nsc
hora_de_sc

Pandemia

Vacinas da Pfizer chegam a Florianópolis no início de maio, diz prefeito

Gean Loureiro disse nas redes sociais que 17 mil doses chegam "no início da próxima semana"

28/04/2021 - 10h20 - Atualizada em: 28/04/2021 - 16h26

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Pfizer será distribuída apenas para as capitais brasileiras
Pfizer será distribuída apenas para as capitais brasileiras
(Foto: )

A chegada de cerca de 17 mil doses da Pfizer a Florianópolis foi confirmada pelo prefeito Gean Loureiro para o início da próxima semana. O anúncio foi feito pelas redes socais do chefe do Executivo da Capital no final da tarde de terça-feira (27). 

> Florianópolis, Itapoá e Barra Velha zeram estoque de Coronavac e aguardam novas doses

> Receba notícias de Florianópolis e região no seu WhatsApp

A prefeitura ainda espera um quantitativo de doses da Astrazeneca a ser enviada pelo Minsitério da Saúde até o final desta semana. A Fiocruz fez, na semana passada, um repasse de 5 milhões de vacinas para o governo federal, que ainda não definiu o quantitativo a ser distribuído para cada estado. 

Com a chegada dessas novas doses, a prefeitura pretende ampliar a faixa etária de vacinação para os idosos com 62, 61 e 60 anos, finalizando esse grupo prioritário. A Capital espera a definição do quantitativo de Astrazeneca que vai receber para anunciar os dias, locais e público-alvo de cada uma das vacinas.

Florianópolis organiza local de vacinação específico para a Pfizer

A vacina produzida pelos laboratórios norte-americano e alemão tem em sua composição um diluente que precisa ser armazenado em temperaturas entre -90 ºC e -60 ºC. Por isso, as ampolas não podem ser conservadas em freezers usuais, é preciso de ultracongeladores para armazenar as doses.

> 12 cidades de SC estão sem casos ativos de Covid-19; veja a lista

Florianópolis organizou o Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, no Norte da Ilha, para servir como ponto fixo de vacinação. No local, as doses ficarão armazenadas em ultra-freezers emprestados pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estuda-se a possibilidade de os pontos de pedestres fixos instalados na UFSC, no antigo aeroporto e no Floripa Shopping armazenarem e aplicarem as vacinas da Pfizer.

Pfizer precisa ser mantida a -70ºC

Por essas condições específicas da Pfizer, o Ministério da Saúde determinou que as vacinas ficarão restritas às capitais no primeiro momento. O governo brasileiro tem um contrato com a farmacêutica para a entrega de 100 milhões de doses até o final de 2021. A entrega seria feita no segundo semestre, mas o Ministério da Saúde conseguiu o adiantamento de 2 milhões de doses ainda para os meses de abril, maio e junho.

A entrega inicial será de 500 mil doses para a primeira aplicação e o mesmo quantitativo para a segunda, que será enviado posteriormente. A Capital é a única cidade catarinense a receber as vacinas, com 17 mil doses na primeira entrega.

A Pfizer é o primeiro imunizante contra a Covid-19 que teve o seu uso definitivo aprovado pela Anvisa, com 95% de eficácia contra o novo coronavírus. O órgão de controle permitiu uma flexibilização da temperatura de armazenamento, autorizando de – 25ºC à -15ºC. Contudo, essa condição só pode ocorrer por até 14 dias.

> "Sala paralela" para furar fila da vacina da Covid-19 é investigada em SC

Uma vez retiradas dos refrigeradores e colocadas na rede de frio nacional, cuja conservação é de temperaturas de 2ºC a 8ºC, as equipes de saúde têm até cinco dias para fazer a aplicação sem risco de prejudicar a eficácia do imunizante.

*Sob supervisão de Augusto Ittner

Leia também

Redução de jornada pode atingir 1,58 milhão de pessoas em SC

Por atraso nas vacinas, 71% da população vê retomada econômica só em 2022

Mais da metade das vítimas da Covid-19 no Brasil morreram quando já existia vacina

Colunistas