nsc
    nsc

    Disputa societária

    Netos de Eulália Hering buscam na Justiça nulidade de negócios com patrimônio da avó

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    24/04/2021 - 08h30 - Atualizada em: 26/04/2021 - 09h49
    Ação questiona decisões sobre herança na Cia. Hering. Na foto, fachada da matriz da empresa em Blumenau
    Ação questiona decisões sobre herança na Cia. Hering. Na foto, fachada da matriz da empresa em Blumenau (Foto: Patrick Rodrigues, Santa, BD)

    Ação ajuizada na vara cível da comarca de Blumenau, nesta sexta-feira (23), promete balançar as estruturas da Cia. Hering, empresa de 140 anos que teve valorização superior a 30% na bolsa após receber e rejeitar oferta de compra da Arezzo por R$ 3 bilhões, dia 14 deste mês. 

    > Cia. Hering é vendida ao Grupo Soma por R$ 5,2 bilhões

    O novo processo pede declaração de nulidade absoluta de transferências de ações e de outros procedimentos envolvendo patrimônio de Eulália Hering, que foi a maior herdeira da companhia, com ações da Cia. Hering e 9,2% da holding Inpasa, uma das controladoras do grupo.

    Três netos da empresária já falecida alegam que a Cia. Hering e outros familiares, responsáveis pela gestão de bens da companhia e também da própria empresária, fizeram operações diversas. Esses procedimentos resultaram na diminuição de quase todos os direitos da avó deles ao patrimônio que possuía.

    > Hering rejeita proposta de compra apresentada pela Arezzo

    Os advogados que defendem os interesses dos três herdeiros são Ives Braghittoni e Yasmin Pastore Abdalla, de São Paulo. A advogada explica que nulidades absolutas não prescrevem. Se a Justiça determinar esta nulidade, isso desfaz todos os atos após essa decisão.

    Presidente da Hering: "impressão que se tinha de que o eletrônico ia destruir o físico é totalmente errada"

    Isso significa que até grandes negócios realizados pela Cia.Hering podem ser afetados. Entre os atos que poderão ser revisados estão decisões que envolvem ações da Cia Hering e também da Ceval - cerealista e agroindústria da companhia que foi fundada em 1972 e vendida nos anos de 1990. Outros bens também terão transações avaliadas.

    Após oferta de compra, Hering anuncia empréstimo de R$ 100 milhões no Itaú

    Os advogados observam que os autores do processo teriam direito a um vasto número de ações da Cia. Hering e de uma de suas controladas, a holding Inpasa. Observam que os gestores, usando diversos artifícios, ano após ano foram reduzindo o patrimônio de Eulália Hering. 

    Entre os problemas identificados estão até uso de dois CNPJs para a Inpasa, registrados na Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc), e atos de doações que podem ser anulados.

    > Como será a vacinação de pessoas com comorbidades em SC

    O marido de Eulália, Max Victor Hering, da terceira geração dos empreendedores da companhia, era o maior acionista das empresas Inpasa e Hering. A Cia. Hering foi fundada em 1880, em Blumenau, pelos irmãos Hermann e Bruno Hering, imigrantes da Alemanha. 

    Os três herdeiros que entraram agora na Justiça para buscar nulidade de atos administrativos – Pedro Roberto Hering Bell, Rafaela Hering Bell e Eduardo Theodoro Hering Bell - são da quinta geração da família. 

    > Ondas da Tempestade Potira aliviam e Marinha reabre portos em SC

    Procurada nesta sexta-feira para falar sobre o assunto, a Cia.Hering informou, por meio de seu consultor, que não tinha conhecimento do processo e não faria comentário. 

    A informação sobre essa ação civil também não abalou o mercado financeiro. Pelo contrário, as ações da Cia Hering subiram 2,53% nesta sexta na B3. No mês, também sob influência da proposta da Arezzo, já acumulam valorização de 40,96%. A expectativa do mercado é de que essa fusão Arezzo-Cia Hering ainda pode acontecer.

    > Militares reclamam de fala de Bolsonaro sobre usar Exército contra restrições

    > Gêmeas trans que fizeram cirurgia inédita em SC revelam ajuda a outras mulheres: "espalhar amor"

    > Desabamento de laje causa a morte de engenheiros responsáveis por obra no Paraná

    > Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp

    Mais colunistas

      Mais colunistas