nsc
nsc

Autoconhecimento

Para que serve o autoconhecimento?

Mago hermetista explica porque é importante se conhecer e identificar o que precisa ser mudado

14/02/2022 - 11h00

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Processo de autoconhecimento é árduo
Processo de autoconhecimento é árduo
(Foto: )

Cem a cada cem pessoas que trilham o caminho do misticismo, esoterismo e, de alguma forma, a magia, já ouviram falar em autoconhecimento. Entretanto, poucas dessas pessoas já se perguntaram para que serve o autoconhecimento. Parece-me que é algo que é imposto às pessoas, de tão displicente a forma como lidamos com isso.

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

Alguns falam que isso é difícil, que é impossível. Outros fazem disso uma espécie de busca de vida, de objetivo máximo. Outras pessoas ainda se entendem, de repente, como iluminados por já terem um leve vislumbre do autoconhecimento. No fim das contas, o que seria isso?

A quem estou querendo enganar?

A busca é válida, mas o caminho é tortuoso e a chegada, impossível. A quem estou querendo enganar, afinal de contas? O certo é que você nunca vai, realmente, se autoconhecer. Você terá diversos vislumbres de si, mas nunca uma vista completa. Isso porque você muda toda vez que adquire novas informações e você faz isso o tempo todo.

Você não será a mesma pessoa que era quando terminar este texto. Na verdade, nem quando terminar esta linha. Uma boa parte de você se transformou, átomos de oxigênio foram processados, outros de carbono foram eliminados, novas “pontes neurais” foram construídas, outras foram eliminadas e outras, ainda, enfraquecidas. Quem você era ao ler esta palavra, não é mais quem você será ao terminar esta.

A constante mudança é decorrente da forma como nossa mente encara o universo e constrói um universo dentro de si. Este universo interno, como o externo, está em constante movimentação, pois estrelas colapsam, planetas se criam, sistemas se afastam e se aproximam.

> Gentileza gera gentileza: como atos positivos podem mudar o dia de alguém

O importante é não desistir

O que posso garantir a você é que o importante é não desistir de tentar se compreender. Embora mutantes, algumas coisas em nós resultam de processos tão intensos que ficam registrados de forma praticamente indelével, como uma coisa chamada de “crenças nucleares”.

Essas crenças são construídas em nós na primeira infância e ditam nosso comportamento dali para diante de uma forma tão intensa, que muitas vezes não conseguimos saber de onde tal comportamento vem.

Autoconhecimento aqui é conseguir identificar essas crenças e saber que você agir assim ou assado, tem um ponto muito mais profundo do que o simples “livre arbítrio”. Você praticamente foi programado para fazer isso por algumas pessoas em momentos que você, conscientemente, nem se lembra.

> Busca pelo bem-estar na pandemia desperta desejo de mudança na vida pessoal e profissional

Aqui está a importância

Quando você busca se conhecer, precisa ativar certos gatilhos de imperfeição em sua alma e aqui está a importância: autoconhecer quer dizer se ver como ser imperfeito, afinal, se você fosse perfeito, se não cometesse erros, não precisaria fazer este exercício.

Nesta busca, você é levado a brigar consigo, a enfrentar-se e este processo sempre gera aprendizado. Mesmo que você não se conheça como pretende, ao menos, você está mudando de uma forma consciente, para um lugar que deseja ir, não que é empurrado pelas mãos impiedosas da vida.

Se perguntar te leva a olhar-se de outra forma, a ser mais complacente consigo, a ser mais misericordioso, a ser mais compreensivo. Te leva a uma conexão com este ser que você desconhece, mas que vive contigo desde que você nasceu.

> Você sabe qual o emprego dos seus sonhos?

Te faz observar que o “anjo da guarda” enviado dos céus, segundo o mito, está muito mais próximo do que você já imaginou e que o daemon, enviado do submundo, não está abaixo de suas solas.

Te mostra que a história do corpo ser composto por milhões de seres autônomos, as células, tem muito mais significado do que pode parecer, quando eles começam a fazer a dança da vida e te levam a lugares nunca antes navegados pela sua mente que tende a preguiça, mas que é controlável por você.

No final das contas, na jornada do autoconhecimento, chegar ao destino importa muito menos que curtir a viagem até lá.

Os perigos de ter convicções

*Por Nino Denani, pós-graduado em neuropsicologia, Mago Hermetista, Grão Mestre da Ordem do Grande Oriente Místico e host do canal do Nino Denani no YouTube. Leia também

Programa das Minas conta histórias de quando a gente apresenta o namorado para a família

Estudo tenta explicar casais em que um pega Covid-19 e o outro, não

Ciclo Lunar: entenda como ele influencia sua vida

Colunistas