nsc
dc

"As vacinas tão no grau"

Reações da segunda dose da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Quem recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 explicou o que sentiu

17/09/2021 - 09h39 - Atualizada em: 13/10/2021 - 13h36

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
Vacina da Pfizer é aplicada em duas doses
Vacina da Pfizer é aplicada em duas doses
(Foto: )

Os efeitos colaterais das vacinas contra a Covid-19 foram um dos assuntos mais comentados desde o início da vacinação. Sintomas que remetiam ao próprio vírus se popularizaram e atingiram quem tomava a primeira dose do imunizante da Pfizer. No entanto, a segunda dose da Pfizer também pode apresentar algumas reações, de forma mais agressiva.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Vale lembrar que a marca ganhou destaque no Brasil após denúncias de corrupção serem feitas acerca da compra das doses e depois de virar meme. Atualmente é a vacina mais aplicada em território nacional.

A vacina é fabricada pela farmacêutica Pfizer em parceria com a empresa alemã BioNTech. O imunizante foi rejeitado pelo Ministério da Saúde em 2020, mesmo sendo a primeira vacina a receber autorização para uso amplo pela Anvisa no país, em 23 de fevereiro de 2021.

> Pode beber depois de tomar a vacina da Covid-19?

Eficácia da vacina Pfizer

De acordo com um estudo divulgado pela marca que desenvolve o imunizante da Pfizer, a vacina apresenta 91,3% de eficácia para evitar o contágio pelo coronavírus por pelo menos seis meses após a aplicação da segunda dose. Além disso, previne em 100% os casos graves.

> O que se sabe sobre a dose de reforço das vacinas contra a Covid-19

Se comparada com as outras marcas de imunizantes disponíveis contra o coronavírus, ela é a que tem o maior índice de eficiência. Logo atrás está a vacina da Oxford, com 70% de eficácia, a da Janssen que registrou eficácia global (casos leves a moderados) e a da CoronaVac com 50,38% de eficiência.

> Pode tomar vacina da Covid-19 gripado?

Efeitos colaterais da primeira dose da Pfizer

  • Dor no local da aplicação da vacina
  • Vermelhidão no local da aplicação
  • Fadiga
  • Cansaço
  • Diarréia
  • Dores de cabeça, musculares e nas articulações
  • Calafrios 
  • Febre

> Tomou remédio para reação da vacina contra a Covid-19? Veja o que pode acontecer

Algumas pessoas ao receberem a vacina também apresentaram forte reação alérgica com sintomas que incluem irritação na pele, náuseas, vômitos, dificuldade respiratória e choque hemorrágico. No entanto, estes não são as reações mais comuns relatadas por quem recebeu o imunizante.

> Vacina da Pfizer aumenta os seios?

Reações da segunda dose da Pfizer

Assim como na primeira dose, reações podem acontecer no organismo após tomar a segunda dose da vacina da Pfizer produzida em parceria com a BioNtech.

De acordo com relatos de quem tomou a segunda dose da vacina, os efeitos colaterais do imunizantes podem ser mais agressivo na segunda vez. Os sintomas relacionados à segunda aplicação da vacina podem ser parecidos com os da primeira, mas de forma mais intensa. Confira as reações da segunda dose da Pfizer mais relatadas.

  • Dor no local da aplicação
  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Fadiga
  • Calafrios

> Pode tomar vacina da Covid-19 gripado?

A importância de tomar a vacina

Ainda que estejam presentes os efeitos colaterais da AstraZeneca, a imunização contra a Covid-19 contribui para a proteção contra o vírus. Os benefícios da vacina superam em muito os efeitos colaterais dos imunizantes contra Covid-19. Isso porque as vacinas garantem que a pessoa não morra devido à doença após ser imunizada de forma correta.

Entretanto, ainda que você receba a imunização, é muito importante continuar mantendo as recomendações para evitar a contaminação por Covid-19. Essa é a melhor maneira de evitar o desenvolvimento da doença, ainda que seja em sua forma mais branda.

> Reações da vacina contra Covid: entenda como acontecem

Quais os riscos de não tomar a segunda dose de vacina da Covid-19

De acordo com a professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Mestre em Saúde Pública e Doutora em Enfermagem, Felipa Amadigi, existem três principais motivos de as pessoas não tomarem a segunda dose do imunizante e também os riscos de não ter tal atitude.

Ter tomado a primeira dose não significa que a pessoas já está imunizada contra o vírus. Por isso é necessário continuar tomando todos os cuidados até chegar o momento de aplicação da segunda dose do imunizante.

De acordo com Amadigi, além de adoecer, é possível que a pessoa que tomou apenas a primeira dose da vacina contra a Covid-19 contraria o vírus e apresente um quadro grave da doença, o que é evitado a partir de 28 dias após a segunda dose do imunizante.

​> Gripe: quais são os sintomas da doença

Além disso, sem a segunda dose, Amadigi também afirma que a pessoa também não estará imunizada e/ou produzindo anticorpos para que a imunização seja completa, sendo assim, só a primeira dose não irá ser suficiente contra o coronavírus. A não ser que a pessoa tenha tomado a vacina de dose única, sendo no Brasil, a da Janssen.

As diferenças entre as vacinas contra a Covid-19

Você também pode querer ler

Veja quem deve tomar a terceira dose da vacina contra Covid na opinião de especialistas

Gripe, Covid ou rinite? ​​Saiba a diferença entre essas e outras doenças respiratórias

Em site especial, saiba mais informações sobre a pandemia do coronavírus

Veja mapas e dados da vacinação por cidade

Por que vacinas da Covid-19 são jogadas no lixo?

Colunistas