nsc
    nsc

    Política

    Alesc abre processo de impeachment contra Moisés e Daniela por compra de respiradores

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    03/09/2020 - 13h12 - Atualizada em: 03/09/2020 - 14h00
    Carlos Moisés e Daniela Reinerh
    Carlos Moisés e Daniela Reinerh (Foto: Maurício Vieira, Secom)

    A Assembleia Legislativa aceitou oficialmente, nesta quinta-feira (3), dar início ao segundo processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL) e a vice-governadora Daniela Reinerh. Com a aceitação, dois processos de impedimento passam a correr em paralelo na Alesc.

    > Defesa de Daniela Reinehr quer votação separada do processo de impeachment

    A denúncia, protocolada no início de agosto pelo advogado Leonardo Boerchadt, de Florianópolis, leva a assinatura de 16 pessoas, entre advogados e empresários - um deles é Hélio Bairros, presidente do Sinduscon da Capital. O documento aponta supostos crimes de responsabilidade no reajuste dos procuradores estaduais – assunto que já é abordado no primeiro pedido de impeachment – e também em ações de governo na gestão da pandemia.

    A Alesc descartou o trecho que trata sobre o aumento dos procuradores, por considerar que a denúncia já está sob análise no primeiro pedido de impeachment, apresentado pelo defensor público Ralf Zimmer Junior. Também foi rejeitado o trecho que citava a tramitação do duodécimo e da reforma da previdência - para a Procuradoria, os fatos não podem ser enquadrados em crime de responsabilidade.

    Foram aceitos os trechos que tratam de ações e omissões na contratação do hospital de campanha de Itajaí, que não foi efetivada, do caso dos 200 respiradores, comprados por R$ 33 milhões com pagamento antecipado. O pedido de impeachment questiona também a demora de Moisés em reagir às suspeitas sobre secretários envolvidos na compra dos respiradores, e aponta que ele teria mentido à CPI dos Respiradores ao informar o momento em que soube da compra dos aparelhos. 

    > Paulinha pede suspensão do impeachment de Moisés no STF

    A apresentação da denúncia na Alesc levou quase três horas, e foi seguida pela leitura do parecer da Procuradoria da Assembleia Legislativa, que foi feita pelo 1º vice-presidente, Mauro de Nadal (MDB). 

    Com o novo processo em andamento, a Alesc terá que estabelecer uma nova comissão para analisar o impeachment.

    Leia também:

    Carlos Moisés entrega defesa no processo de impeachment na Alesc

    Com decisão do STF, afastamento de Moisés e Daniela não está mais só na mão dos políticos

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas