nsc
nsc

Análise

Pragmatismo explica por que relação entre Hildebrandt e Moisés mudou da água para o vinho

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
18/03/2022 - 12h10 - Atualizada em: 18/03/2022 - 12h15
Governador e prefeito, que antes não se bicavam, agora estão mais próximos
Governador e prefeito, que antes não se bicavam, agora estão mais próximos (Foto: Mauricio Vieira, Secom, Divulgação)

Mudou da água para o vinho a relação entre Mário Hildebrandt (Podemos) e Carlos Moisés (Republicanos).

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

Até pouco tempo atrás, o prefeito de Blumenau não escondia o descontentamento com o governador do Estado. Duas pendências o incomodavam particularmente. A primeira: a lentidão na retomada do prolongamento da Via Expressa, obra que Hildebrandt chegou a tratar como “pífia” diante da necessidade da região. A segunda: o Centro de Convenções, cuja burocracia para a liberação de recursos levou o município a cogitar um plano B para tirar a estrutura do papel. O secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira, jogou lenha na fogueira ao sugerir, em um evento na Associação Empresarial de Blumenau (Acib) em julho passado, que era o poder público local o responsável pelo atraso.

Alguns meses e articulações depois e com o calendário eleitoral batendo à porta, o cenário é outro. As alfinetadas públicas deram lugar a elogios e gestos de afago. Na quinta-feira (17), Hildebrandt e Moisés dividiram palanque em Blumenau em uma cerimônia marcada por anúncios de obras rodoviárias – revitalização da Rua Pedro Zimmermann, na Itoupava Central, e a implantação de um viaduto sobre a Rua Guilherme Scharf, no bairro Fortaleza, entre elas – e o sinal verde para que a obra do Centro de Convenções seja licitada. É um pacote de investimentos de cerca de R$ 120 milhões bancados pelo Estado.

O protocolo chegou a abrir espaço para uma fala da deputada Paulinha (sem partido), uma das mais fiéis defensoras de Moisés na Assembleia Legislativa, que não poupou elogios ao aliado. O titular da Casa D’Agronômica parecia ser aquele convidado que o anfitrião se esforça em deixar à vontade. Em seu discurso, Hildebrandt ressaltou que a presença de Moisés era motivo de alegria. O governador retribuiu o carinho e em determinado momento disse que Taió exporta talentos, numa referência à cidade natal do prefeito. E suspirou aliviado, saindo-se com um "demorou, mas saiu", ao se referir ao convênio para o Centro de Convenções.

A bandeira branca hasteada não se limita a uma mera aproximação ideológica, que pode até existir. Há uma generosa dose de pragmatismo político nestes movimentos. Primeiro porque a prefeitura não pode abrir mão da boa relação com um governo que se dispôs a injetar R$ 366 milhões – a cota que cabe a Blumenau no Plano 1000 – em obras de infraestrutura na cidade. Depois porque Republicanos e Podemos conversam para uma possível aliança na campanha de reeleição do governador. 

Hildebrandt ainda não bateu o martelo sobre o apoio. Mas também não fecha portas. Ao ceder espaço para que o presidente da Câmara de Vereadores, Egídio Beckhauser, do mesmo Republicanos do governador, assuma o comando de Blumenau nas férias dele e da vice Maria Regina Soar (PSDB), envia um sinal. Mas também indica que o suporte está condicionado a contrapartidas futuras. 

A possível adesão do prefeito ao projeto de Moisés turbinaria a campanha do governador no Vale, uma região que ao longo de praticamente todo o mandato queixou-se de ter sido deixada de lado no diálogo e sobretudo na composição do governo. Resta aguardar se o tabuleiro eleitoral transformará esse flerte em compromisso.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Venda da Hemmer para a multinacional Heinz é aprovada sem restrições pelo Cade

Blumenau revisita um plano de desenvolvimento que ainda precisa mostrar a que veio

Como a Almeida Junior construiu "um muro" em SC para dominar o mercado de shoppings

Stammtisch Blumenau 2022 já tem data para acontecer

Norte Shopping em Blumenau será ampliado, diz presidente da Almeida Junior​​

Após polêmica com Oktoberfest, Blumenau e Parque Beto Carrero avaliam parceria

Cassol vai abrir segunda loja em Blumenau e projeta expansão também em Itajaí e Joinville

Ex-presidente da OAB Blumenau bate na trave em disputa por vaga de desembargador no TJ-SC​​

Obra de reurbanização da Margem Esquerda em Blumenau começa em 2023, diz prefeito

Blumenau tem planos para tradicional imóvel enxaimel em frente ao Sesi

Alemão que liderou a T-Systems em Blumenau encara o desafio da própria empresa​​​​​​​​​​​​​​​

Marca Sulfabril é vendida e deve voltar ao mercado em 2022​

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas