nsc

    Pandemia

    Cláudio Gomes prevê mais demissões caso o futebol não retorne em SC: "Os clubes estão sangrando"

    Diretor executivo da SCClubes ressalta prejuízo financeiro dos clubes e fala sobre petição para retorno do estadual

    27/04/2020 - 14h16 - Atualizada em: 27/04/2020 - 17h40

    Compartilhe

    Kadu
    Por Kadu Reis
    Clubes catarinenses estão em férias durante o mês de abril
    Clubes catarinenses estão em férias durante o mês de abril
    (Foto: )

    Paralisado pela pandemia, o Catarinense 2020 já teria um campeão definido nesta segunda-feira (27) caso a competição tivesse seguido o calendário normal. Sem jogos, os clubes entraram em férias e aguardam a resposta do Governo do Estado sobre o pedido de retorno das atividades. O diretor executivo da Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCClubes), Cláudio Gomes, ressalta a possibilidade de mais demissões.

    > Saiba tudo sobre o coronavírus no NSC Total

    — Em índices nacionais, passa de R$ 3 bilhões o prejuízo do futebol. O futebol representa 0,72% do PIB nacional, movimenta mais de R$ 53 bilhões por ano. Mas primeiro temos que obedecer todas as orientações de saúde. Precisamos aguardar o governo dar uma posição. O que ouvimos dos clubes é que os atletas e profissionais querem voltar. Tem clubes, como o Criciúma, que já fez demissões. Essa deve ser a atitude dos demais, o caminho a ser seguido caso não seja destravado o futebol. Os clubes estão sangrando — afirma.

    Ouça o Debate Diário desta segunda-feira (27):

    Conforme a petição enviada ao Governo do Estado, os clubes catarinenses pleiteiam o retorno aos treinamentos na próxima sexta-feira (1) e a retomada da disputa do estadual a partir de 16 de maio. A confirmação da volta das atividades, no entanto, aguarda a chancela do governador Carlos Moisés. Conforme Cláudio Gomes, não há definição sobre retomar ou não os treinos nesta semana caso não haja resposta da administração estadual.

    — Temos as sugestões dentro do grupo de presidentes. Montamos uma cartilha, mas a decisão vai ser de cada clube. Não estamos falando de aglomeração, mas de 50 a 60 pessoas no dia a dia do clube para que consigamos atender o calendário. Não é nada surreal, fora da realidade. Estamos falando com responsabilidade. Não vai ter aglomeração. Não queremos voltar a todo custo — garante o executivo da SCClubes.

    Debate Diário em quarentena

    Em função do coronavírus, o Debate Diário está sendo apresentado com todos os participantes em suas casas, com exceção de Roberto Alves, que está em férias. Além disso, o programa tem conversado com personalidades do esporte.

    Confira alguns dos programas anteriores:

    Funchal afirma que não há casos confirmados de coronavírus no futebol catarinense

    "Alguma diminuição vai acabar acontecendo", afirma Felipe Gil sobre salários do Figueirense na pandemia

    ​​Renan Dal Zotto revela que deixa o comando do Taubaté para treinar apenas a seleção brasileira​

    Zico fala no Debate Diário sobre coronavírus no Japão e a quarentena no Brasil​ ​Chefe de arbitragem da CBF explica como um jogador poderá levar dois cartões amarelos e não ser expulso​

    ​Técnico do Figueirense mantém contato à distância com os jogadores na quarentena​ "Não podemos retomar estadual sem saber do Brasileiro", avalia coordenador de futebol do Avaí​

    ​"Haverá um achatamento salarial no futebol", avalia Geninho, no Debate Diário​

    Colunistas