nsc
dc

Violência

Quais foram os crimes mais chocantes de SC em 2021

Entre os crimes que mais marcaram o Estado neste ano estão o ataque à creche em Saudades e o assassinato de uma idosa a tesouradas

28/07/2021 - 05h00 - Atualizada em: 16/10/2021 - 17h23

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Fernanda
Por Fernanda Mueller
Relembre alguns dos crimes bárbaros ocorridos em SC em 2021
Relembre alguns dos crimes bárbaros ocorridos em SC em 2021
(Foto: )

Da 'paixão mórbida' do jovem que assassinou uma adolescente em Campo Belo do Sul aos maus-tratos contra um cão que teve a cabeça decepada ao ser preso nos trilhos do trem em Joinville, Santa Catarina vivenciou uma série de crimes bárbaros em 2021. 

Entre as cenas violentas, a mais chocante e de maior repercussão chegou a ser comparada pela polícia aos massacres do Exterior: o ataque a uma creche em Saudades, no Oeste. Confira abaixo os casos separados pela reportagem.

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Os crimes mais chocantes de SC em 2021

Ataque a creche em Saudades

Homenagem às vítimas foram deixadas em frente ao educandário
Homenagem às vítimas foram deixadas em frente ao educandário
(Foto: )

Uma chacina chocou não só os moradores de Saudades, a pacata cidade do Oeste catarinense, em 4 de maio, como todo o Brasil. Três crianças com pouco mais de 1 ano e duas educadoras foram mortas a facadas por um jovem de 18 anos, que invadiu a creche Pro Infância Aquarela durante a manhã de uma terça-feira. 

A sequência do ataque, detalhada pelo Ministério Público de SC no dia em que a denúncia foi oferecida contra o suspeito remete a filmes de terror. 

A primeira vítima foi esfaqueada ainda no saguão, após abordar o jovem que parecia ter entrado despretensiosament na escola. Com a faca em mãos, raspou e bateu nas grades, amedrontando com o barulho as vítimas que ainda se escondiam. Já as crianças, protegidas até então por uma professora, foram atacadas no horário do soninho, quando a mulher correu para buscar socorro.

O autor do ataque passou por exame de sanidade mental no fim de setembro. O prazo para a entrega do laudo é de 45 dias.

Ele segue preso e responde processo por cinco homicídios qualificados, por motivo torpe, cruel e em ação que impossibilitou a defesa das vítimas. Além disso, é réu por 14 tentativas de homicídio.

Pai mata a própria filha e esfaqueia os outros cinco

Homem colocou fogo na casa onde estavam seus seis filhos
Homem colocou fogo na casa onde estavam seus seis filhos
(Foto: )

Um homem de 39 anos esfaqueou os próprios filhos e colocou fogo na casa em que eles estavam em Criciúma, no Sul de SC, em agosto deste ano. Cinco deles conseguiram sair da residência, mas a filha de 13 anos não teve tempo e foi encontrada carbonizada próxima à cozinha.  

As vítimas — com idades de 5, 7, 8, 10, 11 e 13 anos — estavam todas no mesmo cômodo quando o pai as atacou. Conforme a denúncia do MPSC, ele só não conseguiu matá-las porque a filha mais velha foi em defesa dos irmãos menores, colocando-se entre o pai e as crianças.

Ele está preso preventivamente e vai responder por feminicídio contra a filha de 13 anos, duas tentativas de feminicídio e três tentativas de homicídio qualificados. O homem também foi denunciado por incêndio criminoso. 

Adolescente vítima de feminicídio

Jovem tinha 14 anos quando ex-namorado a assassinou por não se conformar com fim de relacionamento
Jovem tinha 14 anos quando ex-namorado a assassinou por não se conformar com fim de relacionamento
(Foto: )

Com apenas 14 anos, Ana Kemilli foi vítima de feminicídio em Campo Belo do Sul, na Serra catarinense, por causa da "paixão mórbida" que um jovem sentia por ela. 

Procurada por dois dias seguidos, após desaparecer em 8 de fevereiro, a adolescente foi encontrada em um matagal, amarrada a uma árvore e coberta pela vegetação. Tinha sido assassinda pelo ex-namorado, de 21 anos, com quem teve um breve relacionamento entre 2018 e 2019. 

Outro adolescente, de 15 anos, se entregou à polícia após a morte da jovem. Ele confessou participação no desaparecimento de Ana Kemilli, mas não revelou o motivo. Segundo o MP, o jovem aceitou participar do assassinato por que o suspeito disse que o ajudaria em um romance com a irmã. O adolescente foi responsabilizado pela Justiça e cumpre uma medida socioeducativa.

Maior de idade, o ex-namorado de Ana Kemilli está preso preventivamente e responde por feminicídio, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Antes de ser descoberto, ele chegou a consolar a família, ir ao enterro da adolescente e ainda participou das buscas pela jovem, quando ainda desaparecida. 

Conheça o passo a passo do atendimento às vítimas de violência doméstica nas Dpcamis

Idosa morta a tesouradas por familiares:

Orentina da Silva Paye, 89 anos, dormia quando foi atacada por filha e neto
Orentina da Silva Paye, 89 anos, dormia quando foi atacada com tesoura
(Foto: )

Uma senhora de 89 anos foi assassinada a tesouradas dentro da própria casa e enquanto dormia, em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, no dia 16 de abril. Orentina da Silva Paye foi encontrada morta pela filha e o neto, no início da manhã, algumas horas após o homicídio. Ela tinha uma tesoura cravada no pescoço.

O caso teve grande repercussão pela crueldade, mas ganhou maiores proporções após uma reviravolta: no mesmo dia a Polícia Civil prendeu a filha e o neto da vítima, pela autoria do crime. Os dois foram detidos após análise da gravação de câmeras de monitoramento de um estabelecimento em frente à casa da idosa. 

Conforme mostram as imagens, a filha e o neto entraram e saíram da casa da vítima em menos de 10 minutos durante a madrugada. Ninguém mais acessou a moradia até as 7h30min, quando os mesmos familiares retornaram à residência e acionaram a polícia. A primeira versão dada é de que já teriam encontrado a idosa já sem vida, mas contradições nos depoimentos levantaram suspeita da polícia, que indiciou ambos pelo homicídio. 

Entenda por que mortes de mãe e filha não entraram na estatística de feminicídio em SC

Assista ao vídeo

Cão decapitado após ser amarrado em trilhos do trem:

Polícia investiga quem amarrou animal aos trilhos do trem
Polícia investiga quem amarrou animal aos trilhos do trem
(Foto: )

Um cachorro foi amarrado em um trilho de trem e teve a cabeça cortada em Joinville. O animal foi encontrado no dia 14 de julho, na rua Gustavo Henrique Meyer, no bairro Floresta, na zona Sul da cidade e o caso foi divulgado pela Frente de Ação pelos Direitos Animais (Frada) nas redes sociais. 

Uma pessoa que acompanha o trabalho da entidade informou sobre os maus-tratos ao cachorro e a Frada foi até o local, onde constatou que o animal havia sido amarrado no trilho. Com a passagem do trem, ele morreu decapitado. 

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso dois dias após o animal ser encontrado, para descobrir quem pode ter cometido o crime. Além de maus-tratos, o abandono de animais também configura crime, assim como deixar amarrados os cachorros no quintal de casa.

Adolescente mata o pai com ajuda de amiga

Um policial civil de 46 anos foi encontrado morto com ferimentos no pescoço em São Miguel do Oeste na última sexta-feira, 15 de outubro. Segundo a Polícia Civil, a filha e a amiga confessaram a autoria do crime após terem sido confrontadas. O policial foi atacado com uma faca.

As duas menores foram apreendidas e levadas para a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso. O caso foi encaminhado ao Poder Judiciário.

Leia também

Policial foi morto por filha adolescente e amiga, diz investigação

Homem nega manter família em cárcere em Itapema: "Podiam ter saído pela janela"

Criança de dois anos morre atropelada pelo próprio pai em Navegantes

Homem é assassinado com pelo menos 7 tiros na cabeça às margens da BR-101, em São José

Colunistas