nsc
dc

Pandemia

O que se sabe sobre a dose de reforço das vacinas contra a Covid-19

Aplicação do imunizante já é feita no Brasil

04/10/2021 - 10h24

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
A dose de reforço de algumas vacinas contra a Covid-19 são recomendadas pelo Ministério da Saúde
A dose de reforço de algumas vacinas contra a Covid-19 são recomendadas pelo Ministério da Saúde
(Foto: )

A dose de reforço já é aplicada em diversas regiões do Brasil. As vacinas Coronavac e Pfizer são os principais imunizantes aplicados no país. No entanto, até outubro apenas a dose de reforço para a vacina da Pfizer estava com a dose de reforço confirmada pelo Ministério da Saúde para aumentar a eficácia da imunização.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Existe diferença entre terceira dose e dose de reforço quando o assunto é a vacinação contra a Covid-19, apesar de as duas se referirem a uma nova aplicação da vacina. A queda de anticorpos é um dos possíveis motivos para o reforço se tornar necessário.

As vacinas autorizadas para aplicação da dose de reforço no Brasil são da Pfizer, AstraZeneca ou Janssen e começaram a ser aplicadas em de setembro, em idosos com mais de 60 anos, pessoas com o sistema imunológico enfraquecido e profissionais de saúde.

> Pode tomar vacina da Covid-19 gripado?

Diferença entre terceira dose e dose de reforço

Os termos "terceira dose" e "dose de reforço" têm sido utilizados para descrever uma nova dose da vacina para combater a Covid-19. No entanto, mesmo que possam ser parecidos, os dois possuem significados diferentes.

  • Terceira dose: significa que para atingir o nível de proteção necessário, a vacina precisa ser administrada em 3 doses iniciais iguais;
  • Dose de reforço: significa que, depois de receber todas as doses iniciais da vacina, a pessoa recebe outra dose diferente para reforçar a imunidade. Esta dose pode conter amostras das variantes mais recentes do vírus, servindo também como uma "atualização" da resposta imunitária.

> Reações da segunda dose da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Quem precisa tomar a dose de reforço

No Brasil, a dose de reforço foi aprovada pelo Ministério da Saúde para ser administrada da seguinte forma:

  • Em pessoas imunossuprimidas: mais de 28 dias após a última dose da vacinação inicial contra a Covid-19;
  • Em idosos com mais de 60 anos: após 6 meses da administração da última dose da vacinação inicial;
  • Profissionais de saúde: 6 meses depois de completar o esquema vacinal inicial.

> Reações da segunda dose da CoronaVac; veja os sintomas mais relatados

Dose de reforço da CoronaVac

Atualmente, o Ministério da Saúde faz um estudo que deve trazer respostas sobre a eficácia da CoronaVac na terceira aplicação. A pesquisa deve possibilitar a comparação com os outros imunizantes aprovados no Brasil, que também devem ser testados durante o estudo.

De acordo com o Instituto Butantan, em setembro de 2021, uma dose de reforço da CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac contra a Covid-19, aumenta em 17 vezes o nível de anticorpos neutralizantes contra a variante delta do vírus SARS-CoV-2 em quem já completou o esquema vacinal há seis meses.

O estudo foi feito por pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências, Universidade de Pequim, Faculdade de Medicina de Xangai e Sinovac, entre outras instituições, publicado na plataforma de preprints MerRxiv.

> Como recuperar o paladar depois da Covid-19; Confira dicas

O que significa queda de anticorpos

A queda de anticorpos produzidos pelo organismo após receber a vacina contra a Covid-19 não acontece em todas as pessoas e em tese, não seria uma preocupação caso não houvesse a variante Delta circulando entre a população.

Essa possível queda na imunização é normal, principalmente em idosos, já que eles costumam ter uma pior resposta imunológica à vacina. Além deles, pessoas com doenças imunológicas ou pacientes oncológicos também costumam responder de forma diferente aos imunizantes em geral.

Por que vacinas da Covid-19 são jogadas no lixo?

Dose de reforço da Janssen

A  Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, está planejando pedir aos Estados Unidos autorização para aplicar dose reforço da vacina — que foi autorizada para uso com o esquema de dose única. A fabricante é a última dos três fornecedores de vacinas autorizados pelo governo federal americano a pedir aplicações extras, em meio a evidências crescentes de que pelo menos os idosos e outros grupos de alto risco precisam de mais proteção.

> Quais os riscos de não tomar a segunda dose de vacina da Covid-19

Dose de reforço da Pfizer

O estudo da Pfizer investiga os efeitos, a segurança e o benefício de uma dose de reforço da vacina. O imunizante extra deve é aplicado em pessoas que tomaram as duas doses completas em pelo menos seis meses.

> Vacina da Pfizer aumenta os seios?

Terceira dose da vacina e a opinião dos especialistas

Você também pode querer ler

Efeitos colaterais da vacina contra Covid-19

Veja quem deve tomar a terceira dose da vacina contra Covid na opinião de especialistas

Combinação de vacinas contra a Covid-19: tudo que você precisa saber

Vacina da Covid-19 aumenta a pressão arterial?

Dor nas costas após Covid-19 é grave? Entenda a sequela

Colunistas