nsc

Debate Diário

"Governador abriu possibilidade de rever decisão sobre treinos", afirma Francisco Battistotti

Administração estadual não permitiu o retorno do futebol, mas pode fazer nova análise sobre a realização de treinamentos 

29/04/2020 - 14h10 - Atualizada em: 29/04/2020 - 14h18

Compartilhe

Kadu
Por Kadu Reis
Presidente da SCClubes discute com o governador a retomada de treinos
Presidente da SCClubes discute com o governador a retomada de treinos
(Foto: )

Com a resposta negativa para a retomada da disputa do Campeonato Catarinense, a Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina pleiteia a permissão para reiniciar os treinamentos das equipes. Conforme o presidente da SCClubes, Francisco Battistotti, o governador Carlos Moisés admitiu a possibilidade de rever a decisão sobre os treinos. O dirigente falou sobre o tema em entrevista ao Debate Diário desta quarta-feira (29).

— O governador nos ligou explicando os motivos da negativa. Falei pra ele da importância de voltar os treinamentos. Um atleta parado vai levar no mínimo 15 dias de treino para voltar. Sabemos que uma hora o futebol vai voltar. Pedimos ao governador para permitir os treinamentos sem contato, cumprindo protocolo. O governador abriu a possibilidade de rever a decisão sobre os treinos, dentro do protocolo — afirma Battistotti.

Ouça o Debate Diário desta quarta-feira (29):

O governador pediu para mandarmos o mais rápido possível uma solicitação para os treinos. Eu acredito que até a próxima segunda-feira a gente possa ter uma resposta

Em Santa Catarina, os prejuízos financeiros da paralisação do futebol por conta da pandemia de coronavírus são mais sentidos pelos clubes de menor expressão. Conforme Battistotti, entre as equipes do Campeonato Catarinense, Juventus e Concórdia sinalizam possíveis abandonos da competição. A Federação Catarinense de Futebol (FCF) e a SCClubes buscam amparar os times financeiramente.

— Dois clubes ameaçaram abandonar o futebol catarinense, pedir licença da Federação Catarinense. O Criciúma dispensou 32 pessoas. É uma situação que dói na carne de todo mundo. Se o Catarinense não voltar até junho, eu como presidente responsável vou ter que enxugar a máquina. O Concórdia deu um prazo até 10 de junho, se não terminar até lá, não tem como bancar. A Associação liberou para Concórdia e Juventus R$ 30 mil e a Federação liberou mais R$ 20 mil. Os dirigentes estão unidos no interesse de terminar o Catarinense. Os dois com mais dificuldade são Juventus e Concórdia — garante.

Debate Diário em quarentena

Em função do coronavírus, o Debate Diário está sendo apresentado com todos os participantes em suas casas, com exceção de Roberto Alves e Chico Lins, que estão em férias. Além disso, o programa tem conversado com personalidades do esporte.

Confira alguns dos programas anteriores:

Cláudio Gomes prevê mais demissões caso o futebol não retorne em SC: "Os clubes estão sangrando"

Funchal afirma que não há casos confirmados de coronavírus no futebol catarinense

"Alguma diminuição vai acabar acontecendo", afirma Felipe Gil sobre salários do Figueirense na pandemia

​​Renan Dal Zotto revela que deixa o comando do Taubaté para treinar apenas a seleção brasileira​

Zico fala no Debate Diário sobre coronavírus no Japão e a quarentena no Brasil​ ​Chefe de arbitragem da CBF explica como um jogador poderá levar dois cartões amarelos e não ser expulso​

​Técnico do Figueirense mantém contato à distância com os jogadores na quarentena​ "Não podemos retomar estadual sem saber do Brasileiro", avalia coordenador de futebol do Avaí​

​"Haverá um achatamento salarial no futebol", avalia Geninho, no Debate Diário​

Colunistas