nsc
dc

Retomada

UFSC cogita voltar com aulas 100% presenciais em março de 2022 caso Covid seja contida

A reitoria da Universidade explica sobre o planejamento de uma possível volta e quando será o retorno presencial das atividades

31/08/2021 - 05h00 - Atualizada em: 31/08/2021 - 10h53

Compartilhe

Diane
Por Diane Bikel
A UFSC é a 23ª entre as melhores instituições da América Latina, de acordo com a consultoria britânica QS Quacquarelli Symonds
A UFSC é a 23ª entre as melhores instituições da América Latina, de acordo com a consultoria britânica QS Quacquarelli Symonds
(Foto: )

Os mais de 50 mil alunos dos cinco campi da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) continuam com aulas on-line, em função da pandemia. Mas uma mudança de cenário, com a volta de 100% dos estudantes em atividades presenciais, poderá acontecer em março de 2022, conforme projeção do chefe de gabinete da reitoria da universidade, Áureo Moraes.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

> UFSC anuncia retorno das atividades presenciais a partir de setembro; entenda como vai funcionar

Para essa possibilidade se confirmar, no entanto, é preciso que o coronavírus seja contido nos próximos meses em SC. Segundo Moraes, a retomada 100% presencial no ano que vem depende de uma queda nos indicativos de controle da Covid-19 - número de casos, taxa de contaminação, internações, ocupação de UTIs e óbitos.

Em outubro deste ano, os alunos devem começar o semestre referente a 2021.2, previsto para terminar em 26 de março de 2022. A volta para o semestre seguinte, que poderia marcar a retomada 100% presencial, deve acontecer ainda no final do mesmo mês, conforme o chefe de gabinete da reitoria. O tempo de recesso, explica ele, será curto, apenas para o processamento de notas e matrículas.

Retorno das atividades na UFSC será por etapas

O retorno de parte das atividades presenciais foi anunciado em 17 de agosto e sinaliza a Pré-fase 2 - etapa prevista no Plano de Retomada da UFSC e que dá início a uma volta presencial e semi-presencial por parte das atividades. Para uma retomada de 100%, além da diminuição nos números, a universidade aguarda a aprovação do calendário 2022 - prevista pra dezembro deste ano, conforme Áureo Moraes. 

O Plano de Retomada da UFSC foi feito durante o primeiro semestre de 2020 e trabalha com base em documentos indicativos da pandemia. O planejamento possui três fases para a volta do funcionamento da universidade de forma presencial. A fase um, que indicava 100% das atividades de maneira on-line, já foi concluída.

A fase 2, prevista para iniciar em setembro, indica a volta de algumas atividades presenciais ou semi-presenciais das áreas administrativas, laboratórios e práticas. Apesar desta nova fase, a volta acontecerá de forma escalonada. Pessoas do grupo de risco ou que possuem filhos em casa continuarão realizando trabalho remoto.

A fase 3, no entanto, é a fase final. Nela, deve acontecer o retorno presencial de todos os estudantes e colaboradores mantendo os cuidados sanitários em relação a pandemia.

A UFSC já tem data definida para a volta 100% presencial?

A UFSC pode voltar com aulas 100% presenciais em março de 2022, caso os indíces da pandemia estejam em queda, de acordo com Moraes. O retorno depende de condições externas, sobretudo a vacinação do maior número de estudantes possível, já que a UFSC concentra um volume grande de pessoas. A aprovação do calendário acadêmico do próximo ano também será determinante para que ocorra a decisão da volta.

> Renato Igor: SC acerta em reduzir distanciamento entre alunos e seguir OMS

> Evasão escolar obriga mudanças nas regras da Educação em SC

- O retorno presencial pleno poderá ocorrer após o termino do semestre 2021.2, em 26 de março do ano que vem. Caso os indíces diminuam, teremos condições de dizer que o primeiro semestre de 2022, previsto para começar em final de março, será presencial - diz.

Para que a universidade volte com todas as atividades presenciais, os indicadores utilizados no Plano de Retomada da UFSC precisam apontar o controle da pandemia, segundo a reitoria. A universidade está, atualmente, em cinco cidades catarinenses - Florianópolis, Blumenau, Araranguá, Joinville e Curitibanos. Por esse motivo, os números positivos devem alcançar todas essas comunidades.

- A gente tem feito esse acompanhamento. Antes de voltarmos precisamos analisar uma série de fatores. Por exemplo, nós temos um universo muito grande de estudantes que alteraram o dia-a-dia em função da pandemia e voltaram para suas cidades natais. Eles precisam recompor toda a rotina e estar novamente no local onde cursam a faculdade, e isso leva tempo - explica o chefe de gabinete da reitoria.

> Salário dos professores: como SC pretende pagar aumento ainda em 2021 apesar de lei

Se os indicadores tiverem queda após a vacinação de pessoas com 18 anos ou mais no Estado - prevista para finalização em novembro/dezembro, segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) - pode ser que a UFSC retome as atividades em março de 2022, conforme explica o chefe de gabinete da reitoria, Áureo Moraes.

De acordo com Moraes, mesmo que a o Estado apresente mais de 70% da população vacinada com as duas doses ainda este ano, a UFSC irá analisar os índices de contaminação, morte e ocupação de UTIs antes da volta.

Como vai acontecer a volta às aulas?

O planejamento exige preparação das salas de aulas, política de testagem, verificação dos espaços e uso de máscara. Atualmente, mais de 50 mil alunos circulam em todos os campi da universidade.

- Precisamos de um alto grau de imunização para que essas 50 mil pessoas não se transformem em potenciais vetores de transmissão - explica a reitoria.

Os alunos estudam desde julho o semestre de 2021.1, que deve terminar em outubro. Em novembro, parte de dezembro, fevereiro e parte de março, eles farão o semestre referente a 2021.2.

- Hoje, a decisão é que esses dois semestres [2021.1 e 2021.2] sejam 100% de forma remota, com exceção das práticas e laboratórios. Antes de março, não existe alteração prevista - diz.

> Novo decreto de SC libera atividades sem restrição de horário; veja as regras

Quando a UFSC se manifestar sobre a volta das aulas presenciais, todos deverão aderir, conforme explica o chefe de gabinete. O uso de máscara e higienização das mãos não devem ser procedimentos que sairão da rotina da universidade.

- Em princípio, ainda não se imagina abrir mão da higienização e uso de máscaras. Os ambientes que causam aglomeração, por exemplo, precisarão ser monitorados. Teremos que nos acostumar com uma nova realidade, não há dúvida do quanto isso vai nos impactar - conta.

Quais setores devem voltar primeiro de forma presencial?

Setores administrativos, laboratórios e aulas práticas. A volta dessas atividades deve iniciar em setembro, conforme o Plano de Retomada da UFSC. Antes dessa volta, a universidade vai divulgar um documento sobre as condições de retorno por atividade, local, ambiente e grupo de pessoas, segundo a reitoria. As atividades remotas, porém, se mantêm para as pessoas em grupo de risco ou que possuem filhos em idade escolar que não retornaram à escola ainda.

O colégio aplicação deve retomar com atividades presenciais ainda este ano, assim como o ensino NDI - Núcleo de Desenvolvimento Infantil. Porém, mesmo com essa retomada, a volta não será de 100% dos alunos e professores.

- Esses dois casos estão inseridos na rede de ensino regular, estadual e municipal. Além de estarem concentrados em apenas uma cidade, Florianópolis, o que é uma realidade diferente da graduação - explica Áureo.

A UFSC está no aguardo de o Estado completar o ciclo vacinal dos professores e colaboradores para que consiga preparar a retomada dessas duas modalidades. Sobre as medidas que serão tomadas, o chefe de gabinete da reitoria diz que ambientes com circulação de ar são uma das prioridades.

> Por que pessoas morrem mesmo vacinadas contra a Covid-19?

- As atividades que voltarão vão ser de pessoas e ambientes que estão prontos para voltar. Se em algum momento, uma pessoa não puder voltar por algum motivo, a atividade remota vai permanecer. Tudo é gradual e com cuidados, uso de máscara e as recomendações da ciência até então.

Quais medidas sanitárias e de monitoramento serão adotadas para professores, alunos e funcionários?

Cuidado de vacinação, preparação dos ambientes, política de testagem, verificação de espaços e retorno escalonado. Em uma possível volta às aulas presenciais em março de 2022, a UFSC planeja reorganizar todo o dia-a-dia da universidade. No caso do restaurante universitário (RU), por exemplo, 11 mil alunos comem por dia no local.

- Teremos que ter um cuidado muito grande, já que no RU é um momento em que as pessoas estarão sem máscara. Teremos que definir o funcionamento e prever diferentes acesso às refeições.

Até então, o sistema de atendimento do restaurante funcionava por fila e os alunos eram servidos por funcionários do local, conforme explica Moraes. Todos os espaços que acomodam um grande volume de pessoas, de acordo com a reitoria, terão regras adaptadas.

- Vamos ter que implantar metodologias de atendimento diferenciado. Temos RU em todos os campus e isso impacta as cinco cidades.

As medidas, por fim, serão tomadas a partir da confirmação de uma data. Os cuidados gerais, como uso de máscara, higienização e ambiente seguro, se manterão no momento da volta. 

> Auxílio financeiro para aluno carente avança em SC

- Tudo estará associado as normas sanitárias federais, municipais e estaduais. À medida que o professor conseguir retornar para uma sala com os 40 alunos, se imagina que estaremos em uma fase da pandemia mais segura e controlada. Não dá pra adivinhar agora e prever, mas as medidas vão existir.

A UFSC pretende exigir passaporte de vacinação?

O chefe de gabinete da reitoria da UFSC explica que a universidade não pode seguir uma lei municipal ou estadual, a partir do momento que ela contraria uma lei federal.

> O que são as variantes do coronavírus e como elas impactam Santa Catarina

- O passaporte de vacinação em Florianópolis, por exemplo, e a exigência de vacinação para profissionais da educação no Estado para retornar, não podem ser adotadas pela UFSC. No âmbito Federal, não temos nenhum documento que peça isso. Se houver, poderemos exigir, mas agora não é possível obrigar as pessoas a se vacinarem. A UFSC, até o momento, não tem controle de quantas pessoas que a frequentam já estão vacinadas.

> Escola é fechada em Camboriú por causa de surto de Covid-19 entre alunos e professores

As condições mais importantes de segurança para os professores e alunos na fase de volta vai depender das normas sanitárias do momento.

- A gente vai garantir a segurança para que todos não fiquem expostos - finaliza.

Entenda o Plano de Retomada da UFSC

A UFSC divulgou no último dia 17, o ingresso da universidade na Pré-fase 2, do Plano de Retomada, a partir do dia 20 de setembro.  

Antes da retomada, a UFSC planeja preparar as equipes e o espaço físico. "Planejamento, adequação de setores e retomada gradual do atendimento presencial ao público. Reuniões seguem remotas; trabalho presencial deve ser feito em revezamento", explica a universidade. 

A partir do dia 20 de setembro, a UFSC deve implantar política de testagem para controle e monitoramento, análise de indicadores epidemiológicos, testagem de qualidade da circulação de ar, uso obrigatório de máscaras e monitoramento da cobertura vacinal dos servidores.

A Educação básica e infantil foram autorizadas a retomar, de modo gradual e em horário integral após a vacinção completa dos colaboradores. O retorno semipresencial desta modalidade será escalonado com divisão dos grupos que irão presencialmente em dias alternados, informou a UFSC.

Posicionamento do Estado

A Secretaria de Saúde do Estado informa que as regras previstas no Plano de Contingência da Educação precisam ser seguidas no momento da volta presencial, independente de qual seja a instituição de ensino - distanciamento social, alternância de grupos de estudantes, uso de máscara, higienização das mãos e dar preferência para lugares ventilados e, se possível, externos.

*Sob supervisão de Vinicius Dias.

Leia também

Atestados médicos que obrigam aplicação da Pfizer em SC geram alerta na Saúde

A variante delta do coronavírus é mais perigosa e tem sintomas diferentes das outras? Entenda​

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Sexo em público é crime?​

​Efeitos colaterais da CoronaVac; veja as reações mais relatadas​

Colunistas