Florianópolis

Carolina

Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

Carolina Bahia

Gilmar Félix/ Câmara dos Deputados

A posse de Cristiane Brasil

Por Carolina Bahia

22/01/2018 - 12h11

Depois de sucessivas derrotas na Justiça, a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho está marcada para as 9h da manhã de hoje, no Planalto.  O horário é estratégico: realizar a cerimônia antes de um novo revés na Justiça. E isso pode acontecer. Um grupo de advogados entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça que liberou a posse.   É o mesmo grupo que ajuizou a primeira ação, com o argumento de que a nomeação vai contra o princípio da moralidade, pois Cristiane tem condenações na justiça trabalhista. Mesmo se perder no STF, a posse tem o efeito simbólico para o presidente Michel Temerjunto ao PTB: apesar de todos os desgastes o governo não recuou da indicação. É o preço que Temer está pagando para ter o partido de Roberto Jefferson ao seu lado na reforma da Previdência.     Mapa O deputado Beto Mansur (PRB-SP) entregou ao ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) uma nova atualização do mapa da reforma da Previdência, com pouco mais de 260 votos a favor do projeto. Marun deverá completar a lista com os deputados que ele conseguiu convencer a votar com o governo. Questionado pela coluna, o ministro disse que só falará de números em fevereiro. O Planalto precisa de pelo menos 308 votos. Doações Duas “vaquinhas virtuais” foram criadas para ajudar nos custos com as atividades realizadas em Porto Alegre durante o julgamento de Lula. A ação da Frente Brasil Popular arrecadou, até o final da tarde de ontem, pouco mais de R$ 136 mil, menos da metade da meta de R$ 300 mil. Com uma adesão de cerca de 1100 doadores. Já a campanha do PT estava com doações de 1.195 pessoas. No site não há informação do valor arrecadado, mas o doador pode contribuir com valores a partir de R$ 25. Uma adesão pequena, ainda mais se considerarmos que apenas o PT conta com mais de 1,8 milhão filiados, de acordo com o site do partido.  Free shops A Receita Federal espera começar em março a fase de testes do sistema de controle de compras dos free shops nas cidades-gêmea de fronteiras. A abertura dessas lojas foi autorizada por uma lei de 2012, mas depende do software que ainda não ficou pronto. Dionísio Cerqueira é um dos municípios brasileiros que podem abrir free shops a partir dessa nova lei. 

Continuar lendo

A volta do caçador de marajás

Por Carolina Bahia

20/01/2018 - 11h40

*Por Silvana Pires, interina Além de imprevisível, a corrida presidencial promete ser um tanto pitoresca. Até o senador Fernando Collor (PTC) anunciou que é pré-candidato. Justificou que sai em vantagem por já ter presidido o país. Só não citou que já sofreu um impeachment e que é réu em processos na Lava-Jato, num deles acusado de ter recebido mais de R$ 29 milhões em propina. Na lista, ainda aparecem diversos nomes como: Lula, plano A do PT mesmo diante do risco de ser condenado em segunda instância; Alckmin, tentando unir o PSDB; Bolsonaro, que, por si só, já desperta controvérsias; Marina Silva, que anda apagada dos noticiários; o polêmico Ciro Gomes, com discursos atirando para todos os lados; a comunista Manuela D’Ávila, que tenta ser uma alternativa da esquerda; o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), com o desafio de vencer a falta de carisma; e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que navega em um mar de indecisões. Já o eleitor se vê diante do cenário mais imprevisível desde a redemocratização, quando, curiosamente, o eleito pelo povo foi Collor. CONSELHO DE ÉTICA Dois dos quatro vice-presidentes afastados da Caixa terão seus casos analisados pela comissão de ética da Presidência da República, no dia 29 de janeiro. O colegiado decidirá se abre ou não processos contra Antônio Carlos Ferreira e Deusdina dos Reis Pereira por vazamentos e manipulações. Eles foram afastados por suspeita de corrupção. PREVIDÊNCIA A presidente do STF, Cármen Lúcia, quer se reunir com Michel Temer para discutir a reforma da Previdência. Ela espera incluir a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), contrária à proposta, à discussão do tema. Temer concordou com o encontro ainda em janeiro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o relator da reforma, Arthur Maia (PPS-BA), devem participar da reunião. JULGAMENTO LULA O secretário da Segurança do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, respondeu ao ofício feito pelo PT sobre a segurança durante o julgamento de Lula. Para Schirmer, os organizadores das manifestações têm papel importante para identificar possíveis infiltrados, que possam vir a praticar vandalismo. O PT reclamou que em outras manifestações, a Brigada Militar agiu contra todos, provocando “caos e confusão”. Para Schirmer, em alguns casos em que a BM identificou quem praticou vandalismo, esses acabaram se refugiando entre os próprios manifestantes, chegando até a ser aplaudidos por eles. FRASE “Condenação sem prova não inspira respeito porque a Justiça só vive da prova. Eleição sem Lula ficará capenga. Vai ficar faltando alguém na urna e a população não vai aceitar.”  Renan Calheiros (PMDB-AL), senador que defende Lula nas eleições. Leia todas as publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo
Temer

Temer: garoto-propaganda

Por Carolina Bahia

19/01/2018 - 00h27

*Por Silvana Pires  Diante do quadro nada favorável para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Michel Temer assumiu o papel de garoto propaganda. Quer demonstrar que a proposta não prejudica o trabalhador e acabará com privilégios. Após uma provocação de Silvio Santos, que disse não entender a reforma, Temer topou participar do programa do dono do baú, em São Paulo. A gravação foi ontem, com direito a plateia, e deve ir ao ar no domingo. Uma das poucas informações divulgadas sobre a gravação é de que Temer disse nutrir o sonho de distribuir dinheiro para o auditório, e tirou R$ 50 do bolso. O que aconteceu depois ainda está em segredo. A estratégia do governo, de atingir o grande público, pode surtir efeito. Mas será que Temer conseguiu ter desenvoltura e carisma para conquistar o público? É uma aposta arriscada, ainda mais se lembrarmos a trajetória de Temer, que sempre o mostrou longe do povo. COM O POVO O plano de ampliar o convencimento sobre as mudanças propostas na reforma da Previdência também inclui a participação de Temer no programa do Ratinho, no SBT, e de Amaury Jr, na Band. Ao lado de Ratinho, o presidente respondeu dúvidas dos telespectadores sobre as mudanças no sistema previdenciário. Os questionamentos foram gravados com antecedência. DEFESA Os advogados do presidente Michel Temer protocolaram ontem na Justiça as respostas do questionário da Polícia Federal sobre a edição do decreto dos portos. Curiosamente, as perguntas são mais longas do que as respostas. Experiente nas áreas política e jurídica, Temer mediu cada palavra. De forma concisa, negou conhecimento sobre irregularidades envolvendo o grupo Rodrimar, que teria sido beneficiado por atos do governo; assegurou que suas campanhas eleitorais não utilizaram caixa 2; e criticou perguntas que considerou “impertinentes”. SEGURANÇA O PT está preocupado com a segurança dos manifestantes durante o julgamento de Lula, em Porto Alegre. Um ofício foi encaminhado ao governo do Rio Grande do Sul ressaltando que em outras manifestações, como as contra o impeachment de Dilma Rousseff, houve a presença de infiltrados que praticaram atos de vandalismo contra o patrimônio público e privado. E, na época, a Brigada Militar agiu contra todos, sem distinção, provocando "caos e confusão". FRASE "A Caixa Econômica, entra período, sai período, está sempre em situação de pré-falência, só não quebra porque é banco público. Estava na hora de se fazer uma melhora na sua gestão, mas não dessa forma, com uma interferência brutal do Ministério Público e do Judiciário". Rodrigo Maia, presidente da Câmara, sobre o afastamento de quadro vice-presidentes da Caixa que são investigados por corrupção. Leia todas as publicações de Carolina Bahia Leia também: O preço da omissão  

Continuar lendo

O preço da omissão

Por Carolina Bahia

18/01/2018 - 09h20

*Por Silvana Pires, interina Mais uma vez, por não querer se indispor com os partidos da base, o presidente Michel Temer demorou a agir. Diante de suspeitas de corrupção, o Ministério Público Federal recomendou, em dezembro, o afastamento de vice-presidentes da Caixa Econômica Federal indicados por PMDB, PRB, PR e PP. Temer ignorou. Só foi reagir agora, depois de ser notificado de que poderia ser responsabilizado por eventuais irregularidades praticadas pelos dirigentes sob suspeita. Além de ter sido omisso, o presidente ainda terá que dar outras explicações: a investigação aponta que um dos vices teria repassado informações sobre operações do banco e atendido a pedidos de Temer, à época que era vice de Dilma, e de Moreira Franco, hoje ministro da Secretaria Geral. Amanhã, o Conselho de Administração da Caixa se reúne e pode aprovar mudança na forma de indicação de vice-presidentes. Uma esperança de pôr fim ao mercado de indicações políticas, que foi alimentado pelo próprio Temer. MOBILIZAÇÃO O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, confirmou à coluna que o foco da mobilização no dia do julgamento do ex-presidente Lula será em São Paulo. Mas afirmou que a militância MTST participará dos atos em Porto Alegre. O próprio Boulos estará na capital gaúcha nos dias 23 e 24, mas retorna à tarde para participar da manifestação na Avenida Paulista, com Lula. CARAVANA Lula deve retomar as caravanas pelo país no final de fevereiro, passando por Santa Catarina e Paraná. A definição de datas, atividades e cidades a serem visitadas será feita após o dia 24, data do julgamento do ex-presidente. Até lá, o foco do PT estará nas mobilizações que ocorrem nos dias 22, 23 e 24 que organiza em todo o país.  SEM APOIO  Líderes do Centrão, bloco que reúne partidos como PP, PTB, PR e PSD, já falam nos bastidores que o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) é candidato “dele mesmo”.  Até o presidente Michel Temer, em recente entrevista, admitiu que prefere Meirelles à frente da Fazenda em vez de concorrer à Presidência da República.    FRASE “As pessoas que foram afastadas terão agora a chance de se defender, de estabelecer o contraditório. O governo não demorou para agir, a reação foi pronta e no momento que se avançou na posição do Banco Central. O governo fez o que é adequado. As atitudes são adequadas.”  Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo, ao justificar porque o presidente Temer demorou para afastar os vice-presidentes da Caixa. Confira todas as publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo
Gleisi

A declaração infeliz de Gleisi Hoffmann

Por Carolina Bahia

16/01/2018 - 20h02

*Por Silvana Pires, interina A declaração da presidente do PT de que "para prender o Lula, vai ter de prender muita gente, vai ter de matar gente" foi, no mínimo, descabida e irresponsável. A senadora Gleisi Hoffmann, que frequentemente faz discursos pela democracia, inflou ainda mais os ânimos em redes sociais. O julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4 já é emblemático, com torcidas de ambos os lados, e isso é causa suficiente de preocupação com possíveis conflitos nas manifestações marcadas em Porto Alegre e outros pontos do país. A senadora usou o Twitter para tentar justificar a frase, que foi dita em entrevista ao portal Poder360. Na rede, afirmou que foi uma "força de expressão", para demonstrar o quanto Lula é amado pelo povo brasileiro: — Como não se revoltar com condenação sem provas? Gleisi só esqueceu que não é apenas uma militante defendendo Lula e que tem responsabilidades enquanto senadora e presidente de um dos partidos mais importantes do país. Também deveria saber que violência e democracia não combinam no mesmo discurso. SAÚDE Depois de passar por alguns procedimentos cirúrgicos, o presidente Michel Temer diminuiu um pouco o ritmo de trabalho. No dia a dia, tem deixado o Planalto para almoçar na residência oficial, o Palácio do Jaburu. Interlocutores do governo afirmam que a agenda estava muito intensa e que Temer quer levar um ritmo mais tranquilo. SEGURANÇA O ministro Torquato Jardim (Justiça) se reúne na sexta-feira com o presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, para tratar da segurança durante o julgamento do ex-presidente Lula. O encontro será em Porto Alegre, onde o ministro já tinha uma agenda prévia. PERÍCIAS O governo federal espera realizar em 2018 cerca de 78 mil perícias em benefícios pagos pelo INSS em Santa Catarina. Desse total, 66.637 se referem à aposentadoria por invalidez. No país a expectativa é de que no país que sejam realizadas 1,2 milhão de perícias. O beneficiário que deverá passar pelo pente-fino será avisado por carta. Depois é necessário agendar a perícia pelo telefone 135.  TEIMOSIA O deputado Sérgio Moraes (PTB), que chegou a ser citado para o Ministério do Trabalho, tem falado para o partido reavaliar o que ele chama de "teimosia" na indicação de Cristiane Brasil (PTB-RJ). O parlamentar acredita que o PTB deve indicar um bom técnico para a vaga. O Planalto tenta reverter na Justiça a suspensão da posse da deputada do Rio de Janeiro. Mas o placar não é favorável, já perdeu seis vezes na Justiça.  FRASE "Na minha opinião, se não conseguir voto em fevereiro, não vota mais. Depois, nós vamos ter outras agendas que precisam avançar. Do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sobre a reforma da Previdência. Leia todas as publicações sobre política de Carolina Bahia

Continuar lendo

Rebaixamento é carta na manga

Por Carolina Bahia

15/01/2018 - 21h22

*por Silvana Pires, interina O Planalto sabe que a aprovação da reforma da Previdência no Congresso não será fácil. Só na Câmara são necessários pelo menos 308 votos - hoje o governo conta com cerca de 270. Tentando reverter esse quadro, até uma notícia ruim virou aliada. O rebaixamento da nota de crédito do Brasil tem sido usado por ministros para pressionar deputados. Depois de Henrique Meirelles (Fazenda) ter cobrado apoio do Congresso para aprovar a reforma, agora o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) afirmou que o rebaixamento confirma que caso as mudanças na Previdência não sejam aprovadas o “Brasil tem poucas chances de viver um futuro de prosperidade e quase que está condenado a um futuro de incertezas”. A questão que fica é: os parlamentares vão querer se indispor com o eleitor em ano de Eleições? FORA DA AGENDA O presidente Michel Temer recebeu ontem, fora da agenda oficial, o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, no Planalto. No mínimo é deixar espaço para especulações. Ainda mais que nesta semana Temer deve entregar as respostas dos questionamentos feitos pela PF dentro do inquérito que investiga a edição de uma MP que beneficiaria o setor de portos. Depois que o encontro foi descoberto pela imprensa, o Planalto incluiu Segovia na agenda e informou que os dois trataram sobre segurança pública. INDIRETA? O ministro do STF Gilmar Mendes usou o Twitter para deixar uma mensagem no mínimo curiosa neste período pré-julgamento de Lula. Gilmar escreveu “Bob Dylan nos mostra o quanto a Justiça penal pode ser injusta. Sua canção Hurricane é sobre o boxeador Rubin Hurricane Carter, preso por quase 20 anos por um crime que não cometeu. Quem pode garantir que amanhã não pode ser você?”. A coluna tentou contato com o ministro para entender a declaração, mas ele segue no exterior e não retornou as mensagens. APOIO A LULA O presidente estadual do PT, deputado Décio Lima, estima que cerca de 5 mil catarinenses estarão em Porto Alegre durante o julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4, em Porto Alegre. Décio Lima tem intensificado o contato com os 217 diretórios municipais do partido em Santa Catarina para convocar os militantes. FRASE “Começamos a contagem regressiva para o fim desse governo Temeroso.” Do Senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que voltou a usar as redes sociais para atacar o governo Michel Temer. Leia todas as publicações de Carolina Bahia Leia também: A novela de Cristiane Brasil Lula e a narrativa do PT para driblar a Lava-Jato

Continuar lendo

Lula e a narrativa do PT para driblar a Lava-Jato

Por Carolina Bahia

13/01/2018 - 00h33

A mobilização política em torno do julgamento do ex-presidente Lula é mais do que a luta para salvar um líder político da condenação por corrupção. O que está em jogo é a sobrevivência do próprio PT. Assim como criou uma narrativa para justificar o Mensalão, o Partido dos Trabalhadores está fazendo o mesmo com a Lava-Jato. O ápice será o julgamento de Lula no Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4), em Porto Alegre, com direito a protestos e tribunal paralelo. Alegar que a autoridade máxima do partido é vítima de perseguição alimenta as versões criadas para explicar o envolvimento no maior escândalo de corrupção do país. É salvo conduto para deputados e senadores que respondem a inquéritos e que precisam de um discurso para apresentar aos eleitores neste ano. PMDB, PSDB, PP, PR e demais legendas satélites estão no mesmo barco. Em alguns casos, foram até parceiros nas falcatruas.   A Lava-Jato revelou as relações nada republicanas das maiores lideranças políticas do país com grandes empresas. O presidente da República, Michel Temer (PMDB), e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) continuam blindados porque contam – por enquanto – com foro privilegiado. Eles têm muito o que agradecer à Câmara e à conveniente morosidade do Supremo Tribunal Federal (STF). As investigações também mostraram que as irregularidades envolvendo os governos Lula e Dilma estão ligadas a vínculos com empreiteiras. Dois ex-ministros da Fazenda foram presos, assim como ex-tesoureiros do partido. A atual presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, é ré em um processo no STF, sem falar nos demais parlamentares que aparecem em delações. Por um momento, petistas chegaram a imaginar que estava tudo acabado e que o partido teria que ser refundado. Mas aí Lula foi transformado em vítima. O juiz Sérgio Moro foi eleito o inimigo número 1 e os procuradores, os algozes. Ao mesmo tempo, o governo Temer não deslanchou, amargando uma das piores avaliações da história. Popular, o petista continua liderando as pesquisas de intenção de voto. O ex-presidente foi condenado a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Tecnicamente, ele precisa responder na Justiça a essas acusações. Politicamente, o ambiente está armado para que ele continue a ser elemento importante nas eleições de 2018, preso ou solto, com o nome na urna ou não. Agora, se a Lava-Jato parar no caso Lula e não avançar nos processos de Aécio, Romero Jucá, Temer e companhia, dará aval e razão à narrativa do PT. FRASE

Continuar lendo
posse

Ministério do Trabalho em banho-maria

Por Carolina Bahia

12/01/2018 - 00h03

*por Silvana Pires, interina   O governo Temer resolveu deixar a poeira baixar antes de fazer qualquer movimento em relação à novela Cristiane Brasil (PTB-RJ). O revés sofrido no TRF-2, que manteve a suspensão da posse da nova ministra do Trabalho, acendeu um sinal de alerta para uma possível derrota no Supremo Tribunal Federal (STF) ou no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A expectativa é de que o assunto só seja retomado na segunda-feira. Até lá, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, que antecipou a volta das férias para cuidar do caso, deve analisar a melhor estratégia para reverter a situação. Enquanto isso, a pasta do Trabalho está sem ministro desde o dia 29 de dezembro, quando a exoneração de Ronaldo Nogueira foi publicada no Diário Oficial. Nem parece que o país sofre com quase 13 milhões de desempregados.   PREVIDÊNCIA Apesar de Brasília estar esvaziada e o fator Cristiane Brasil ter se tornado o foco do Planalto nos últimos dias, o deputado Beto Mansur (PRB-SP) garantiu à coluna que o governo segue trabalhando intensamente pela reforma da Previdência. O assunto foi um dos temas de um jantar com o presidente Michel Temer e o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) na noite de quarta-feira.     EM BUSCA DE VOTOS Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem saído a campo em busca de votos para a reforma. Ontem, reuniu-se com deputados federais do PR e depois participou de almoço com o governador Raimundo Colombo (PSD). Nas redes sociais, Maia exaltou que o dia era dedicado à reforma da Previdência. Ele aproveita para costurar futuras alianças com o centrão, que reúne partidos como PR e PSD, de olho na eventual candidatura à Presidência da República.   SAÚDE DE TEMER Michel Temer está em São Paulo, onde passou por consultas com cardiologistas e urologistas. Os exames vão ajudar a definir se o presidente poderá viajar para o exterior e participar do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, no final do mês. Interlocutores do Planalto garantem que Temer está muito bem de saúde. FRASE "O governo não pode aceitar situação em que um juiz de primeira instância revoga uma decisão do presidente da República", do Ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) ao falar sobre mais uma derrota do governo Temer que não consegue empossar a futura ministra do Trabalho, Cristiane Brasil. Leia todas as publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo
Temer

Novela mexicana no Planalto

Por Carolina Bahia

11/01/2018 - 16h38

A confusão gerada com a indicação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) ao Ministério do Trabalho ainda expõe o governo Temer. A Advocacia-Geral da União (AGU) teve de recuar após o anúncio de que iria ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão que impediu a posse da filha de Roberto Jefferson. O receio do Planalto era de que a presidente Cármen Lúcia negasse o recurso ou então submetesse o assunto ao plenário, adiando a decisão para fevereiro, após o recesso. Agora, o veredito está nas mãos do TRF-2, que também contou com capítulos de novela mexicana: o caso foi encaminhado para um desembargador. Só esqueceram que ele está em férias. O presidente Michel Temer não toma as rédeas da situação porque não quer se indispor com o PTB, mas o comandante do país deveria dar um ponto final nessa história e escolher outro nome. O partido não dá sinais de indicar outra pessoa e, apesar de todo o desgaste em torno de seu nome, nem a própria Cristiane quer abrir mão de se tornar ministra. Enquanto isso, mais uma vez a Justiça terá de decidir algo que é de competência do Executivo.   APOIO A bancada do PT no Senado deve comparecer em peso ao julgamento de Lula no TRF-4, em Porto Alegre. Só o senador Paulo Rocha (PE) ainda não confirmou, pois há uma possibilidade de ele participar de ato a favor do ex-presidente em Recife. A senadora Vanessa Grazziotin, do PCdo B, já confirmou presença. Os deputados catarinenses Pedro Uczai e Décio Lima também estarão na capital gaúcha.   ELEIÇÕES O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estará hoje em Florianópolis. Ele participa de um almoço com o governador Raimundo Colombo. Maia vem conversando com lideranças dos partidos do chamado Centrão, como PP e Solidariedade, possíveis aliados para concorrer à Presidência da República.   TORCIDA ORGANIZADA Lideranças de entidades ligadas a magistrados da Justiça do Trabalho não escondem que aguardam ansiosas pelo dia 25 de fevereiro, quando terminará a gestão do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho. A defesa que ele faz da reforma trabalhista é criticada nos bastidores. Antes de deixar o comando da Corte, no entanto, o ministro estará à frente do processo de revisão das súmulas que irão nortear decisões de juízes trabalhistas em todo o país.   FRASE “2,95: a menor taxa da inflação desde 1998. É para comemorar, sim! Precisamos continuar nessa luta, porque inflação baixa mostra que o país se recupera.”  Do presidente Michel Temer comemorando nas redes sociais a inflação abaixo de 3%    Leia todas as publicações de Carolina Bahia  

Continuar lendo

Carolina

Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação