Florianópolis

publicidade

Carolina Bahia

Carolina Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

Carolina Bahia

(Marcos Oliveira/Agência Senado)

Absolvição de Gleisi Hoffmann dá oxigênio para o PT

Por Carolina Bahia

21/06/2018 - 01h35

A absolvição da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal é um bálsamo para o partido do ex-presidente Lula, em um momento estratégico. Serve como um reforço para as críticas às delações premiadas e em defesa do processo no STF, que pede a suspensão da prisão de Lula. Questionada pelos próprios colegas, Gleisi enfrenta críticas internas em razão da falta de habilidade para fechar acordos regionais para a campanha eleitoral deste ano. Além disso, está sob pressão do grupo, que gostaria de ter um plano B consolidado para a candidatura à presidência. Apesar de todo o discurso de perseguição do PT, se ela fosse condenada no âmbito da Lava-Jato por corrupção e lavagem de dinheiro, ela ficaria ainda mais fragilizada para levar adiante um roteiro desenhado pelo próprio Lula. Com as atenções voltadas para os tribunais, o PT agora se concentra do julgamento da ação de Lula na próxima semana, que também será julgada pelos ministros da Segunda Turma, conhecida como Jardim do Éden. Veja também: Santa Catarina fecha maio com 4,4 mil demissões   Problema no avião de Pinho Moreira Problemas no avião oficial cancelaram a viagem do governador Eduardo Pinho Moreira marcada para ontem em Brasília. A equipe do governador foi informada do problema quando estava a caminho do aeroporto. Moreira teria reuniões na Secretaria de Defesa Civil, no Ministério do Trabalho e na Secretaria de Governo para tratar de repasses para ações na Serra do Rio do Rastro e para o Sistema Nacional do Emprego (Sine). Não há previsão para nova viagem de Pinho Moreira a Brasília.   Interrogatório de João Rodrigues O Conselho de Ética da Câmara decidiu de última hora interrogar ontem mesmo o deputado João Rodrigues (PSD), no processo que pede a cassação do parlamentar por quebra de decoro parlamentar. Condenado por ter dispensado a licitação na compra de uma retroescavadeira quando era prefeito de Pinhalzinho, Rodrigues insistiu que é inocente. Durante sua defesa, reclamou: – No momento em que o país passa por uma roubalheira sem tamanho, um único deputado preso no exercício do mandato por causa de uma assinatura? Esse é o país que vai pra rua bater panela e pedir Justiça? Esta Casa precisa reagir.   Apoio a João Rodrigues João Rodrigues recebeu apoio do colega Sérgio Moraes (PTB-RS) durante a sessão do Conselho de Ética.  Para Moraes, o que fizeram com o catarinense quando da prisão foi um “teatro”. E ainda reclamou do que estão fazendo com a classe política e acredita que “é hora de darmos um basta”. Moraes é aquele que causou polêmica ao dizer que se lixava para a opinião pública. Veja também: Juíza proíbe João Rodrigues de frequentar piscina e churrasqueira em visitas à família   Frase "Não haveria por que retirar da Polícia Federal um dos mais importantes instrumentos de investigação, expressamente previsto pelo legislador. Agora não existem mais motivos para haver rusgas entre as instituições nesse sentido.” Do presidente da Associação Nacional dos Delegados da PF, Edvandir Felix de Paiva, após o STF autorizar delegados da PF a fechar acordos de delação premiada.   Leia outras publicações de Carolina Bahia Veja também as publicações de Moacir Pereira  

Continuar lendo

Mala suspeita é deixada em comissão da Câmara que analisa alteração na lei dos agrotóxicos

Por Carolina Bahia

20/06/2018 - 12h37

Uma mala foi deixada no plenário da comissão especial que analisa o projeto que pode flexibilizar a Lei dos Agrotóxicos, na Câmara Federal. No começo da sessão, um sinal sonoro foi escutado no plenário, mas ninguém deu importância ao fato. Ao final da reunião, a presidente da comissão, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), contou que uma mala com simulação de uma bomba foi encontrada no plenário: —  Aconteceu um fato muito grave nessa comissão agora. Foi identificada uma mala deixada ali atrás por uma pessoa. Aqueles apitos que deram ali, se realmente já eram dessa mala, isso eu não posso afirmar. Mas essa mala tinha uma simulação de uma bomba, sem artefato para explodir. Vamos abrir sindicância nessa Casa pela Polícia Legislativa.  Tereza Cristina afirmou ainda que a política já tem tem imagem da pessoa que deixou a mala. — É por isso que a gente às vezes proíbe o acesso. Mas enfim, é uma brincadeira de muito mau gosto, diz a deputada que é integrante da bancada ruralista. Leia outras publicações de Carolina Bahia 

Continuar lendo
(EVARISTO SA / AFP)

Temer usa "herança maldita" como desculpa para impopularidade

Por Carolina Bahia

20/06/2018 - 04h00

O Palácio do Planalto colocou em campo uma nova estratégia de comunicação, na ânsia de tentar resgatar a popularidade pífia do presidente Michel Temer. Nos vídeos divulgados até agora nas redes sociais, atores reclamam da herança maldita. Em resumo, afirmam que o cidadão ainda não sentiu os efeitos da melhoria dos indicadores na economia porque a crise era grande quando o emedebista assumiu, há dois anos, e a retomada é um processo demorado. Mas esquecem de citar que o desemprego continua em alta e fatos práticos da vida, como o aumento do combustível, pesam no bolso. Além da economia, Temer também enfrenta desgaste em razão das investigações envolvendo suspeitas de corrupção. Vale lembrar que o presidente perdeu capital político no Congresso, depois das negociações envolvendo o sepultamento de duas denúncias da Procuradoria-Geral da República. Apesar do clima eleitoral, Temer e seus aliados não podem se comportar como quem aterrissou de paraquedas no Palácio do Planalto. Ou alguém esqueceu que Temer foi vice de Dilma Rousseff?   Confira também as publicações de Moacir Pereira   Agrotóxicos O deputado Valdir Colatto (MDB-SC) acusa a oposição de fazer terrorismo quando o assunto é o projeto que regula a lei dos agrotóxicos. À coluna, o parlamentar garantiu que a ideia não é flexibilizar o controle do uso do produto no país, mas sim agilizar a liberação dos processos que passariam a ser informatizados e continuariam sendo feitos por um colegiado formado pelo Ministério da Saúde pela Anvisa e pelo Ibama: – Todos vão sair daqui e vão comer produtos tratados com defensivos agrícolas liberados pela Anvisa. E não vão morrer não, vão viver mais, vão ficar bem gordinhos – ironizou o deputado.   Colatto e Maldaner Os emedebistas Valdir Colatto e Celso Maldaner estão entre os parlamentares que protocolaram requerimento para retirada de assinatura da lista de criação da CPI da Lava-Jato. Assim como os demais que assinaram proposta apresentada por deputados do PT, eles alegam que não são contra delação premiada e que o objetivo da comissão não estava claro no documento.   Habeas corpus de Lula A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga na próxima terça-feira habeas corpus do ex-presidente Lula (PT), mas a sessão não será transmitida ao vivo. Isso porque os julgamentos nas 1ª e 2ª Turmas só podem ser gravados para reprodução de trechos posteriormente. Apenas as sessões do pleno, que contam com todos os ministros, são transmitidas ao vivo.   Frase “Emendo o diálogo e entendimento entre os partidos de centro e tenho a convicção que juntos levaremos o Meirelles para o segundo turno e depois para a vitória. O Brasil necessita disto. Temos que avançar”. Do presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), defendendo a candidatura de Henrique Meirelles à presidência da República.   Leia outras publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo

É tudo com o Supremo

Por Carolina Bahia

19/06/2018 - 01h50

Enquanto o Congresso e o Palácio do Planalto estão em compasso de espera, o Supremo Tribunal Federal (STF) terá uma semana agitada em meio à Copa do Mundo. Hoje está na pauta da 2ª Turma o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) – presidente nacional do PT – e do marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. Os dois são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro em processo da Lava-Jato. Amanhã, o pleno deve retomar o julgamento que discute a possibilidade de delegados da Polícia Federal fechar acordos de colaboração premiada. O placar já tem maioria para permitir que a PF feche as delações. Esse julgamento poderá resolver uma antiga queda-de-braço entre PF e Ministério Público. Para encerrar, o ministro Luiz Fux é relator do processo sobre o frete dos caminhoneiros e promove reunião amanhã.   Confira também as publicações de Moacir Pereira   JORNADA A Comissão do Trabalho da Câmara resolveu comemorar um ano da reforma trabalhista lançando, no dia 19 de junho, a Jornada Brasileira de Relações do Trabalho. É uma série de seminários pelo Brasil, com o apoio institucional da Secretaria-Geral da Presidência da República. A organização, no entanto, está sob a responsabilidade de uma instituição de Natal (RN), o Instituto Brasileiro de Ensino e Cultura (Ibec).   PREÇO DA JORNADA O evento sobre a reforma trabalhista conta com patrocínios públicos, como Correios e Caixa, e com patrocínios privados. Empresários relataram à coluna que cotas do evento foram oferecidas meses atrás. O coordenador-geral é o deputado Ronaldo Nogueira (PTB), ex-ministro do Trabalho, que será painelista.   DEFESA Três testemunhas foram convocadas pela defesa de João Rodrigues (PSD-SC) para depor amanhã no Conselho de Ética da Câmara no processo que pode cassar o mandato de deputado. Serão ouvidos os ex-prefeitos de Pinhalzinho Anacleto Gallo e Darci Fiorini - que estava licenciado quando Rodrigues dispensou irregularmente licitação para compra de retroescavadeira em 1999, além do mecânico Ariberto Bertasso, responsável por receber e cuidar do equipamento na prefeitura. Darci é hoje vice-prefeito de Pinhalzinho.    REGRAS Enquanto isso, a juíza do Distrito Federal Leila Cury determinou as condições em que o deputado João Rodrigues deve se comportar no regime semiaberto. Ele poderá sair do presídio da Papuda a cada 15 dias para receber a família em um apart-hotel em Brasília, mas está proibido de usar espaços "não essenciais à sobrevivência", como piscina, churrasqueira, sauna e academia. O deputado também não poderá deixar a Câmara para almoçar fora com a família ou amigos, e nem recebê-los no horário de trabalho. Veja também: João Rodrigues não acredita na cassação   FRASE “Esse Fernando Holiday é o capitãozinho do mato. A pior coisa que tem é um negro que é usado pelo preconceito para estigmatizar. Esse era o capitão do mato no passado.” Ciro Gomes Pré-candidato à presidência do PDT, que havia prometido controlar as declarações polêmicas, ao falar sobre a possibilidade de uma aliança com partidos de centro-direita, como o DEM. Fernando Holiday é vereador pelo partido em SP.   Leia outras publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo

O impasse da tabela dos fretes continua

Por Carolina Bahia

18/06/2018 - 11h12

Enquanto o país está mergulhado na Copa e começa a semana digerindo o empate da Seleção Brasileira com a Suíça, o governo Temer tem um impasse a resolver: a tabela do frete dos caminhoneiros. Relator do processo no Supremo Tribunal Federal, o ministro Luís Fux, marcou para a próxima quarta-feira (20) uma reunião com os principais interessados no assunto, de representantes do agronegócio a líderes dos caminhoneiros. O assunto foi parar na Justiça porque empresários, em especial deste setor, alegam que não há como suportar os custos do preço tabelado e que a saída é o livre mercado. Os caminhoneiros, com razão, alegam que os valores praticados sem qualquer controle prejudicam a atividade. Um governo com legitimidade teria condições de agir como mediador, encontrando um meio termo. Enfraquecida, a equipe de Temer resolveu deixar com a Justiça uma saída para essa queda de braço. Não é a melhor decisão. Lideranças de caminhoneiros que frequentam gabinetes de deputados em Brasília ameaçam: se a tabela cair, poderão promover uma nova paralisação. Também há expectativa de novas reuniões sobre o assunto no Palácio do Planalto.   Leia mais: Cade diz em parecer ao STF que tabela do frete apresenta risco de formação de cartel   Ligação Há uma corrente dentro do PP que pressiona a direção nacional do partido para que a legenda não apoie nenhum candidato à presidência da República nas eleições deste ano. Com isso, os diretórios estaduais teriam liberdade para coligarem com quem quisessem, de acordo com a realidade local. Polarizando Pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes  vai turbinar uma estratégia mais agressiva. Ele decidiu bater em Jair Bolsonaro (PSL) por dois principais motivos: — Estabelecer um comparativo entre biografias e projetos, além de buscar desde já a polarização Ciro/Bolsonaro, afastando um terceiro nome na disputa.   Leia mais notícias no Diário Catarinense

Continuar lendo

A mais nova confusão do governo

Por Carolina Bahia

16/06/2018 - 03h00

A medida provisória que destinou recursos das loterias para a segurança corre o risco de ser desfigurada ou enterrada pelos deputados federais com o apoio de atletas e artistas. Na ânsia de anabolizar uma pauta positiva, um dia antes de reunir chefes de polícia de todo o país na capital federal, o governo anunciou um fundo formado com recursos das loterias para investir em segurança. Seria motivo de grande comemoração, se o fundo não estivesse sugando verbas de outras áreas, como Esporte e Cultura.  Uma ação que conseguiu unir grandes nomes do mundo esportivo e cultural em uma cruzada contra a MP.  Sobrou para o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, aumentar o tom contra o próprio governo: – Cortar recursos da cultura em tempos de crise é uma postura burra. Na sequência, o ministro emendou, dizendo que não se referia ao corte do dinheiro das loterias. Isso porque está tentando negociar a recuperação das verbas. Quem sabe, diminuindo o valor dos prêmios das loterias. E também porque ministro que chama o próprio governo de burro, mesmo por tabela, está pedindo para ser demitido. Aliás, esse é o clima em Brasília: de fim de festa. Ministros de fora do Palácio do Planalto já não se empenham na defesa do governo, assessores dão demonstrações de que já jogaram a toalha.   Veja também as publicações de Moacir Pereira   No caso da MP do fundo da segurança, parece que o governo perdeu a mão na área que sempre nadou de braçada: a articulação política. Ministros das duas pastas prejudicadas, técnicos e parlamentares aliados não foram chamados para conversar e tentar encontrar uma saída negociada. Integrante da Comissão do Esporte na Câmara e ex-campeão Mundial de Judô, João Derly (Rede) sentencia: – A MP arrebenta com o esporte brasileiro. O principal argumento do deputado é que a medida retira R$ 500 milhões do esporte, verba que faz falta para jovens atletas, mas que não resolve os problemas da segurança. Somente para a intervenção no Rio de Janeiro foram direcionados  R$ 2 bilhões e, após quatro meses, a situação ainda é bastante crítica. Leia outras publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo
(MAURO PIMENTEL , AFP)

A candidatura virtual de Lula

Por Carolina Bahia

14/06/2018 - 04h10

Se as previsões da presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, estiverem corretas, o Tribunal Superior Eleitoral julgará com celeridade os registros de candidaturas deste ano e não haverá pendências durante as eleições.  Isso sepulta o discurso oficial do PT sobre a manutenção do nome do ex-presidente Lula até o momento do voto. Em conversa com a coluna, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), afirmou que o partido contaria com os prazos do TSE para empurrar a situação de Lula e que, se a candidatura fosse impugnada, o partido iria ao STF.  Na narrativa do PT, teríamos uma eleição com um candidato pendurado na Justiça. Cármen Lúcia afirma que confia na Justiça Eleitoral e na solução desses casos antes do momento do voto. A estratégia do PT, no entanto, tem sentido. O partido depende da alta popularidade do ex-presidente para manter a militância mobilizada. Mesmo preso, Lula é um bom cabo eleitoral. Na prática, as lideranças mais pragmáticas sabem que o PT precisa, mesmo, é garantir o tamanho das bancadas na Câmara e no Senado.    ROYALTIES A bancada catarinense deve desembarcar em peso no Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 27 de junho, data marcada para o julgamento dos royalties do petróleo. A ideia do coordenador da bancada, deputado Jorginho Mello (PR) é garantir a presença de parlamentares do SC, mostrando aos ministros a importância do tema do Estado. Santa Catarina que questiona a divisão dos royalties de exploração de campos de petróleo que estão a 150 e 200 quilômetros do litoral.   AMEAÇA Caminhoneiros que participaram da greve estão em Brasília, alertando os parlamentares: se a Justiça derrubar o preço mínimo do frete, eles poderão paralisar as atividades mais uma vez. Representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) têm dito a eles que a tabela está garantida.   #FICAADICA Parabéns aos pré-candidatos à presidência que aceitaram participar do congresso de prefeitos organizado pela Fecam e apresentaram as suas ideias em Santa Catarina. O eleitor deve desconfiar de candidato que foge do debate.   DESPISTE O pré-candidato da presidência pelo PDT, Ciro Gomes, surpreendeu até integrantes do partido ao rechaçar um vice proveniente do mercado financeiro. Alguns pedetistas vinham apostando no empresário Josué Alencar  (PR) – filho do ex-vice-presidente José Alencar – como alternativa para a dobradinha.   FRASE “A grande verdade é que: se nós tivéssemos como relator da Lava Jato o ministro Gilmar Mendes, a Lava Jato não existiria em Curitiba.” Do coordenador da Lava-Jato no Paraná, procurador Deltan Dallagnol.   Leia outras publicações de Carolina Bahia 

Continuar lendo
(Gilmar Félix, Câmara dos Deputados)

Deputada Cristiane Brasil é alvo de investigação da PF

Por Carolina Bahia

13/06/2018 - 01h05

* Por Silvana Pires, interina A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) voltou a ser o foco das atenções e, como de costume, de forma negativa: foi alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga organização criminosa dentro do Ministério do Trabalho – pasta que ela quase comandou. O grupo seria responsável por fraudar concessões de registros de sindicatos e, de acordo com a PF, a pessoa que controlava o setor foi indicada por Cristiane. Essa foi a segunda fase da operação. Na primeira o pai da parlamentar, Roberto Jefferson, foi um dos alvos, assim como outro petebista, o deputado Jovair Arantes (GO). O entorno dos dois principais grupos do PTB nada mais é do que a realidade de outros ministérios, também loteados entre partidos que compõem o governo e usados como moeda de troca no jogo político. Em entrevista à coluna, há dois meses, Cristiane Brasil afirmou que "foi uma graça divina não ter assumido o ministério, que iria procurar os gargalos e desagradar muita gente".  A PF está desvendando o que de fato foi montado no Ministério do Trabalho.   CORTE  Apesar da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, ter autorizado o corte do salário dos auditores fiscais, segue na pauta de hoje do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a ação em que a União pede para realizar os descontos dos dias não trabalhados. Em Santa Catarina, cerca de 60% dos auditores fiscais aderiram à paralisação, de acordo com o secretário-geral do Sindifisco em Florianópolis, Edmir Paes e Lima. A categoria está em greve há mais de sete meses.  Veja também as publicações de Moacir Pereira   NO TOM  Principal conselheiro e articulador político do pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT), Cid Gomes tem repetido um mantra ao irmão: no Nordeste, nada de falar mal do Lula.  Já no Sul, não precisa se controlar.    SEGURANÇA  Secretários estaduais representando as cinco regiões do país participaram ontem de reunião com o ministro Raul Jungmann (Segurança) sobre os critérios para a distribuição de verbas do Fundo Nacional de Segurança Pública, que agora vai contar também com parte de recursos das loterias.  O secretário Cezar Schirmer – representando a região Sul – defendeu regras que levem em conta índices de criminalidade e população dos Estados para a divisão de recursos. Ele ainda é contrário que se adote os critérios do Fundo de Participação dos Estados, o que acabaria privilegiando mais o Nordeste.    FRASE   "Caminha-se para a tortura em praça pública’", Do ministro do STF Gilmar Mendes que recomendou a responsabilização dos agentes que algemaram o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, quando este foi levado para exames antes de ser transferido para uma prisão em Curitiba.   Leia outras publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo
(Divulgação)

João Rodrigues não acredita na cassação

Por Carolina Bahia

12/06/2018 - 04h00

De volta aos trabalhos na Câmara, o deputado João Rodrigues (PSD-SC) não acredita que possa ter o mandato cassado pelos colegas no Conselho de Ética. Condenado ao regime semiaberto por irregularidades na prefeitura de Pinhalzinho, ele ficou 110 dias preso na Papuda no regime fechado porque estava impedido de trabalhar pela Justiça. Por uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, ele retomou às atividades durante o dia para voltar à prisão à noite.  Em conversa com jornalistas, afirmou que não pretende solicitar à Justiça licença para ir ao Estado e que a mulher e as filhas devem desembarcar em breve em Brasília. Rodrigues afirma que vai entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) com embargos e um pedido de habeas corpus, na tentativa de reverter a pena. Quanto ao mandato, o Conselho de Ética ainda analisa o pedido de cassação e há um longo caminho pela frente até a votação do caso. Veja também: Deputado João Rodrigues envia primeira mensagem após prisão   CONSELHOS Colega de cela de José Dirceu, na Papuda, João Rodrigues conversou e até ouviu conselhos do petista. Dirceu e o empresário Luiz Estevão – também preso – o aconselharam a alegar a prescrição da pena.   ANISTIA O deputado Celso Maldaner (MDB) e caminhoneiros participam de reuniões hoje com a Secretaria de Governo e a AGU. A ideia é tentar o perdão das multas aplicadas durante a greve, que chegam a R$ 2,5 milhões em rodovias catarinenses. - Queremos explicar que há casos, por exemplo, que se o caminhoneiro tentasse sair seria apedrejado. Em outros, a multa que foi emitida é maior do que o patrimônio da empresa. Então como é que faz? – questiona Maldaner.   EXECUTIVA O diretório nacional do PDT se reúne amanhã em Florianópolis. No encontro, convocado pelo presidente Carlos Lupi, serão discutidas as regras para a distribuição do Fundo Eleitoral de campanha, o momento político atual e a aprovação da convenção nacional do PDT para 20 de julho. O pré-candidato à presidência Ciro Gomes participa da reunião. A escolha da capital catarinense para sediar o encontro foi para prestigiar o ex-ministro Manoel Dias.   FRASE "Não faço propaganda, faço jornalismo dos meus biografados." De Fernando Morais ao juiz Sérgio Moro que afirmou que o escritor estava fazendo propaganda de Lula durante depoimento no processo do sítio de Atibaia.   Leia outras publicações de Carolina Bahia

Continuar lendo

Vaquinha arrecada R$ 134 mil em quatro dias para candidatura de Lula

Por Carolina Bahia

11/06/2018 - 07h57

* Por Silvana Pires, interinaEm quatro dias no ar, o PT conseguiu arrecadar com a vaquinha virtual da pré-candidatura de Lula à presidência da República cerca de R$ 134 mil. Até as 18h de de sábado as doações foram feitas por pouco mais de 1.400 apoiadores do petista. Já às 20h30 de domingo (10), eram 1.448 mil apoiadores doando pouco mais de R$ 135,6 mil.  

Continuar lendo
Exibir mais
Carolina Bahia

Carolina Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação