nsc
    nsc

    Convenções

    João Natel oferece moderação às Eleições 2020, mas corre o risco de passar despercebido

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    14/09/2020 - 15h43
    Médico neurologista comandou a Furb por duas gestões
    Médico neurologista comandou a Furb por duas gestões (Foto: Divulgação)

    João Natel ainda era reitor da Furb quando sinalizou que entraria para a política. Em 2016, tentou liderar o MDB na disputa municipal, sem sucesso. Agora, quando conseguiu o apoio do PDT para enfrentar as urnas nas Eleições 2020, o blumenauense finalmente conhecerá currículo e discurso do médico e acadêmico. A questão é se a candidatura terá lastro político numa campanha rápida e concorrida.

    > Quer receber as notícias de Blumenau e região via Whatsapp? Clique aqui e entre no grupo do Santa.

    O candidato pedetista apresenta-se ao eleitor como alguém que teve sucesso como médico neurologista e já experimentou a administração pública. Os dois mandatos como reitor da Furb proporcionaram exposição e credenciais para uma carreira política.

    Natel tem desenvoltura para debater bandeiras históricas do trabalhismo, como saúde, educação e justiça social. Ao mesmo tempo, é o candidato de esquerda com maiores possibilidades de diálogo com o centro e a centro-direita. O problema é que moderação, numa campanha com uma dezena de contenedores, tende a ser atributo pouco valorizado.

    Para chamar atenção, o ex-reitor precisará transformar ideias em planos assertivos, fáceis de compreender. Será um desafio para alguém cauteloso, de fala baixa e frases longas, do tipo que esconde o jogo e gosta de decidir sozinho.

    Do ponto de vista político, é difícil definir a base que sustenta o projeto de Natel. Ele deixou a Furb sob a fama de centralizador, desgastado inclusive entre quem o apoiou por oito anos. O candidato que representou a continuidade da gestão nas eleições universitárias, em 2018, não chegou ao segundo turno.

    Na disputa contra coligações maiores e partidos com capilaridade em Blumenau, o pedetista também não conseguiu que os partidos de esquerda convergissem em torno da candidatura dele. Potenciais parceiros afastaram-se reclamando de falta de objetividade.

    Tudo isso faz de Natel uma incógnita das Eleições 2020. Pode ser protagonista, caso consiga convencer eleitores à esquerda e à direita de que é opção viável. Mas também corre o risco de passar despercebido e sair da campanha menor do que entrou.

    Os candidatos

    A coluna abordará todos os candidatos a prefeito de Blumenau até o dia 16 de setembro, conforme forem oficializados pelas convenções partidárias. Confira abaixo outros textos da série.

    > Odair Tramontin é a novidade das Eleições 2020 em Blumenau, mas terá de enfrentar contradições

    > Kleinübing disputará as Eleições 2020 com vantagens e desgastes de já ter governado

    > Wanderlei Laureth entra como franco-atirador nas Eleições 2020, mas pode soar folclórico

    > Candidato do bolsonarismo nas Eleições 2020, Ricardo Alba precisa provar que está pronto para governar

    > Débora Arenhart vai enfatizar a educação nas Eleições 2020, com o desafio de superar a inexperiência

    > Ivan Naatz precisará conciliar o discurso de "nova política" com o próprio histórico

    > Mário Hildebrandt põe à prova um governo e a capacidade de atrair votos

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas