nsc
    nsc

    Convenções

    Candidato do bolsonarismo nas Eleições 2020, Ricardo Alba precisa provar que está pronto para governar

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    07/09/2020 - 16h14 - Atualizada em: 22/09/2020 - 14h02
    Deputado estadual foi o mais votado em 2018, com mais de 62 mil votos
    Deputado estadual foi o mais votado em 2018, com mais de 62 mil votos (Foto: Solon Soares, Divulgação)

    Quando elegeu-se vereador, em 2016, Ricardo Alba era um oficial de Justiça e professor universitário que acabara de ganhar notoriedade nos protestos contra o PT em Blumenau. Dois anos depois, catapultado pelo bolsonarismo, conquistou impressionantes 62 mil votos para a Assembleia Legislativa — o mais votado. A candidatura a prefeito nas Eleições 2020 é o desafio mais ambicioso da carreira meteórica, e que exigirá de Alba mais do que entregou até agora nos curtos mandatos no Legislativo.

    > Quer receber as notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp? Clique aqui e entre no grupo do Santa.

    Nenhum outro candidato blumenauense tem a imagem tão atrelada a Jair Bolsonaro como Ricardo Alba. Eleito vereador pelo PP, ele migrou para o PSL junto com o presidente e surfou a onda do 17. Embora não possa contar com manifestação de apoio do Planalto no primeiro turno e tenha distanciado-se do grupo político que circunda o presidente, o deputado tem ao lado dele o bolsonarismo raiz no município.

    Alba também poderia apresentar-se como o candidato do governador, um apoio geralmente desejado em disputas municipais. Desde o primeiro dia de governo, o blumenauense procurou atrelar seu mandato à gestão Carlos Moisés, tornando-se canal preferencial de contato do Médio Vale com Florianópolis. Criou a Frente Parlamentar do Vale e liderou a Comissão Parlamentar do Idoso.

    A implosão da administração Moisés, que pode nem mais ser governador no dia da votação, veio em péssima hora para os planos do deputado. É a principal fonte de incerteza da campanha.

    Com ou sem a companhia do governador, Ricardo Alba precisará mostrar que está preparado para atuar no Executivo. Como legislador, destacou-se pela estridência e também pelo interesse em polemizar pautas relacionadas à sexualidade. Fiscalizou livros infantis, engrossou a campanha contra um evento sobre gênero na Escola Elza Pacheco e propôs uma lei estadual para proibir atletas trans de disputar competições em equipes do sexo biológico oposto.

    Para ser prefeito, terá de lidar com questões menos palpitantes, como a coleta de lixo, o funcionamento dos postos de saúde e a geração de empregos. Precisará demonstrar que, aos 35 anos de idade, está preparado para administrar um município complexo e conversar com todos os segmentos do eleitorado.

    Na eleição municipal, esbravejar contra o rejeitado PT e a esquerda pode ser inócuo. Até porque os adversários que representam maior ameaça estão no mesmo campo ideológico de Alba e do vice, o hoteleiro Emil Chartouni.

    Apesar disso tudo, Alba entra na corrida eleitoral com a segurança de quem ainda tem dois anos pela frente na Alesc. Se sair vencedor, será reconhecido como um fenômeno eleitoral. Do contrário, terá reforçado seu nome para a campanha de reeleição daqui dois anos. Não é pouca coisa.

    Os candidatos

    A coluna abordará todos os candidatos a prefeito de Blumenau nas próximas semanas, conforme forem oficializados pelas convenções partidárias. Confira abaixo outros textos da série.

    > Odair Tramontin é a novidade das Eleições 2020 em Blumenau, mas terá de enfrentar contradições

    > Kleinübing disputará as Eleições 2020 com vantagens e desgastes de já ter governado

    > Wanderlei Laureth entra como franco-atirador nas Eleições 2020, mas pode soar folclórico

    > Jairo Santos foi do PSTU ao bolsonarismo e agora mira a prefeitura de Blumenau

    > Débora Arenhart vai enfatizar a educação nas Eleições 2020, com o desafio de superar a inexperiência

    > Ivan Naatz precisará conciliar o discurso de "nova política" com o próprio histórico

    > Mário Hildebrandt põe à prova um governo e a capacidade de atrair votos

    > João Natel oferece moderação às Eleições 2020, mas corre o risco de passar despercebido

    > Mário Kato representa a renovação da esquerda em uma cidade avessa a comunismo

    > Ana Paula Lima luta para reverter o encolhimento do PT em Blumenau

    > Geórgia Faust defenderá a inclusão nas Eleições 2020, com estrutura que limita ambições

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas